Cacau

ARTIGO

Cacau


O neurocirurgião Eduardo Silva
O neurocirurgião Eduardo Silva - Johnny Torres/Arquivo

O cacaueiro (Theobroma cacao) é uma árvore nativa da floresta tropical que mantém as suas folhas durante todo o ano, e produz o fruto cacau. O cacaueiro é originário da bacia dos rios Amazonas e Orinoco, onde em ambientes naturais e com sombra na floresta, sua altura pode alcançar 12 metros. Porém em cultivos normalmente a sua altura varia de 3 a 5 metros.

Achados de sítios arqueológicos indicam que o cacau já era utilizado pelos povos pré-olmecas no México em 1750 a.C. As sementes são transformadas em pó de cacau, manteiga de cacau e chocolate. O cacau possui funções de desintoxicação, anti-inflamatória e contém mais antioxidantes do que o chá verde e preto, a uva, o açaí e o blueberry. O cacau apresenta em sua composição proteínas, carboidratos, gorduras, fibras, vitaminas B1 e B2, antioxidantes, cafeína, zinco, magnésio, cálcio, ferro, sódio, fósforo, potássio, selênio e colina. Os flavonoides do cacau contribuem para melhorar a resistência à insulina, a função cardiovascular, o fluxo de sangue para o cérebro e a performance dos atletas. As pessoas que ingerem cacau com frequência, apresentam melhora na performance cognitiva, na memória visual, espacial e de trabalho. O consumo de cacau favorece a produção de serotonina e endorfina, que ajudam a combater o estresse, a relaxar, a controlar a depressão, a ansiedade e a melhorar o bem-estar e o humor.

O alto teor de antioxidantes auxilia na redução do colesterol, inibe a oxidação do LDL, reduz a agregação plaquetária e a formação de placas de ateroma, melhora a elasticidade dos vasos, aumenta a vasodilatação e a circulação sanguínea, reduz a pressão arterial, estimula a cognição, a memória e atua na prevenção das doenças cardíacas e cerebrais. Os flavonoides e os minerais combatem os radicais livres e melhoram a saúde e elasticidade da pele e reduzem as rugas e o envelhecimento. Os flavonoides e as catequinas ajudam no aumento de bifidobactérias e lactobacilos, micro-organismos probióticos que contribuem para aumentar a imunidade, melhorar a absorção dos alimentos e o trânsito intestinal. Os polifenóis do cacau possuem efeitos anticarcinogênicos.

A ação estimulante e diurética do cacau acontece devido aos efeitos da teobrina e da cafeína. O cacau por ser rico em ferro auxilia no combate a anemia. A ingestão de duas colheres de sopa de cacau em pó ou 40 gramas de chocolate amargo (acima de 85%), é benéfica à saúde. Deve-se evitar o consumo de chocolate processado ao leite e o branco, porque contêm pouca quantidade de cacau, muito açúcar, além da perda dos efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios.