Treine para curar doenças

Fitness

Treine para curar doenças

Exercícios podem manter longe algumas moléstias mesmo em casa


A atividade física previne o desenvolvimento de doenças crônicas não-transmissíveis
A atividade física previne o desenvolvimento de doenças crônicas não-transmissíveis - Pexels/Banco de imagens

As atividades físicas trazem diversos benefícios para o corpo e para a mente, por isto a prática é tão recomendada por profissionais da saúde. "Além de fortalecer o sistema imunológico, o que faz com que o corpo produza respostas mais rápidas e eficazes a organismos invasores, a atividade física previne o desenvolvimento de doenças crônicas não-transmissíveis como hipertensão e diabetes, controlam os níveis de colesterol, melhora o condicionamento muscular e cardiorrespiratório, melhora a qualidade do sono, reduz o estresse e é uma grande aliada no tratamento da depressão e ansiedade", explica Luis Polito, professor do curso de educação física.

"Dessa forma, é importante manter-se ativo e praticar exercícios físicos, com segurança e sem sair de casa para controlar algumas doenças", afirma o endocrinologista Thiago Fraga Napoli, da regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. A prática contribui, segundo ele, para um menor risco de diabetes, câncer e obesidade, aumento da função cardiovascular, perda da aceleração do declínio cognitivo, na liberação de endorfina, que ajuda a combater estresse, ansiedade e depressão e no fortalecimento da saúde óssea, com menor risco de fraturas com o avançar da idade.

Colesterol alto: Pelo menos 20% da população possuem excesso de colesterol ruim no organismo. Segundo a OMS, as doenças cardiovasculares são as principais causas de morte em todo o mundo. Destas, 1/3 são por enfarte, que tem como um dos seus principais causadores o colesterol ruim alto. As taxas de colesterol até caem com pedaladas. Manter o corpo em movimento melhora o perfil das partículas de gordura que trafegam no sangue;

Diabetes: Mais de 16 milhões de adultos no Brasil sofrem da doença crônica metabólica caracterizada pelo aumento da glicose no sangue. "Na maioria dos casos, o tratamento da doença inclui a prática de exercícios a fim de controlar o colesterol, reduzir o peso e diminuir a probabilidade de complicações da doença. Além disso, o exercício físico faz com que o aproveitamento da glicose no organismo seja aprimorado", afirma a nutricionista Jéssica Freitas.

Doenças respiratórias: Um em cada cinco brasileiros tem algum tipo de doença respiratória. As mais comuns são a asma alérgica, bronquite, rinite e o enfisema pulmonar. Essas pessoas deixam de praticar exercícios por causa da fadiga, cansaço e indisposição, mas segundo especialistas, adotar um estilo de vida sedentário tende a agravar o quadro. Ao contrário do que se pensa, a prática de atividades físicas traz benefícios para essas doenças. Isso porque os exercícios fortalecem os músculos utilizados na respiração e auxiliam o organismo a distribuir melhor o oxigênio. "Quando o corpo se acostuma com a carga de exercícios, passa a utilizar melhor o oxigênio e a respirar com mais facilidade porque os músculos responsáveis pela respiração ficam mais fortes", diz o fisiologista do esporte Raul Santo;

Fibromialgia: Embora a doença não tenha cura, a prática de exercícios físicos é, justamente, a intervenção não-medicamentosa mais empregada e estudada para o tratamento da enfermidade mais comum entre as mulheres, especialmente entre os 30 e os 50 anos de idade. "O aumento dos níveis de neurotransmissores que inibem a dor e são liberados durante o exercício físico, ajudam a trazer bem-estar ao paciente", explica o reumatologista Milton Helfenstein. Todos os tipos de atividades físicas são recomendadas para os pacientes com fibromialgia, exceto se houver alguma outra doença que ofereça contraindicação. "Há evidências de que a atividade física aeróbica pode melhorar o quadro doloroso, o sono, os aspectos psicológicos e a qualidade de vida. Portanto, quando são respeitados os limites e o condicionamento atual da pessoa, a atividade física não é prejudicial", diz ainda;

Hipertensão: Mais conhecida como "pressão alta", a doença atinge cerca de 30% dos brasileiros, segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH). "Exercícios físicos auxiliam no combate da hipertensão arterial. A prática esportiva ajuda a romper o ciclo do sedentarismo e promove melhoras no condicionamento físico", diz o cardiologista Marcelo Sobral;

Osteoporose: A doença afeta mais de dez milhões de brasileiros. Apesar de não apresentar sintomas característicos, as fraturas causadas pela osteoporose são incapacitantes e prejudicam a qualidade de vida. A prevenção envolve a prática de exercícios suaves até um programa de exercícios estabelecido pelo médico ou pelo fisioterapeuta, como alongamento, exercícios para melhorar o equilíbrio e para fortalecimento dos músculos.