Pensamentos sempre em alta

Saúde emocional

Pensamentos sempre em alta

Conceitos da psicologia positiva podem ajudar a equilibrar as emoções


Cuide bem dos seus pensamentos, recomendam especialistas
Cuide bem dos seus pensamentos, recomendam especialistas - Pixabay/Banco de Imagens

Uma pesquisa feita pelo Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), durante a pandemia, mostrou que o número de casos de depressão praticamente dobrou no País e os sintomas relativos à ansiedade e ao estresse aumentaram 80%. "De fato, 2020 não tem sido fácil sob diversos aspectos: econômicos, sociais e psicológicos, mas há formas de evitar o estresse e a ansiedade gerados pelo momento", diz Flora Victória, mestre em psicologia positiva. A boa notícia é que, o bem-estar pode ser conquistado a partir do cultivo de virtudes e potencialidades pessoais, focos do trabalho da psicologia positiva.

"O pensamento é uma força que, se usada com sabedoria, nos põe em sintonia com nosso ser superior, com forças que nem sabíamos que existiam dentro de nós", diz a terapeuta Guilhermina Batista Cruz. Elas acabam criando os acontecimentos e interferindo com intensidade em nossas vidas. Se nos acostumamos com um padrão de pensamentos negativos, eles, cedo ou tarde, interferirão nos nossos acontecimentos cotidianos, nos causando doenças, tristezas, desânimo, depressões, e toda uma gama de acontecimentos nefastos.

 

"Devo ter mais autocompaixão": Um dos males modernos mais frequentes é a profunda cobrança por sucesso e realização pessoal, comumente, por meio do trabalho, que não raro é exagerada e impacta no bem-estar do indivíduo, privando-o de prazeres como a companhia de amigos e familiares e podendo gerar distúrbio como o esgotamento emocional por exaustão extrema. O indivíduo percebe-se ansioso, sem paciência, e quando se dá conta não se permite mais o prazer do convívio e pode até mesmo apresentar sintomas físicos preocupantes. A autocompaixão é o ato de carinho que alguém pode ter por si mesmo. O ideal é parar por um instante e se distanciar da própria situação para um maior entendimento que leve a conexões mentais que possam estimular a estabelecer limites para as tarefas cotidianas;

"Busco a empatia e me aproximo do outro": Há evidências científicas de que o convívio com o próximo faz bem. Isolado, o indivíduo perde a identidade porque ela é constituída a partir do encontro com o outro. Por isto, embora qualquer um possa encontrar arestas nas relaçõeso, é importante lembrar que são elas que dão sentido à vida. Treine a resiliência, a paciência, o entendimento e, em casos mais difíceis, até mesmo o distanciamento;

"Eu presto mais atenção às minhas emoções positivas": As emoções positivas aprimoram o repertório de ação do pensamento de um indivíduo. A positividade, inclusive, ativa diferentes áreas do cérebro, gerando sentimentos como satisfação, esperança, otimismo e entusiasmo. Cultive-os;

"Eu evito focar no medo": Medo é uma das emoções negativas geradas na amígdala e gera a necessidade de correr ou lutar, o que envolve sensações físicas de estresse como tensão, e outras descompensações. Não permita ser dominado por esta emoção;

"Demonstro gratidão pelo que já tenho": A gratidão é uma das emoções positivas mais poderosas para deixar fluir no dia a dia. Uma visão apreciativa do mundo leva a um estilo de vida que preza o ser grato pelo que ocorre ao redor. Implica em menos julgamento de valor e mais emoções positivas, opostas ao sentimento de depreciação por si próprio e pelo mundo.

Fonte: Flora Victória, psicóloga e escritora