A refeição que une

Familia

A refeição que une

Filhos que jantam com os pais têm melhor saúde física e emocional


As refeições em família melhora a saúde física e emocional dos filhos
As refeições em família melhora a saúde física e emocional dos filhos - Freepik/Banco de Imagens

Com a vida moderna e suas diferentes demandas, para muitas famílias a hora do jantar é sempre um momento acelerado. Os horários não batem, todos estão cansados após um dia de trabalho e sobra pouco tempo para preparar as refeições. O resultado é que cada um come uma coisa em um horário diferente, na frente da televisão ou com o celular na mão. E nem sempre a comida é a mais saudável.

Se você reconheceu sua família neste cenário, pesquisadores da Universidade de Guelph, no Canadá, publicaram recentement um artigo na revista JAMA Network Open, que apontam bons motivos para você mudar os hábitos. Isto porque filhos que jantam regularmente em família costumam consumir mais nutrientes de frutas e vegetais, têm índices menores de obesidade e menor propensão a serem obesos na fase adulta. Além disto, elas ingerem menos calorias do que se estivessem comendo fora de casa. Os pesquisadores analisaram estudos e identificaram também benefícios acadêmicos e emocionais: taxas menores de uso de drogas e de depressão, mais resiliência, vocabulário mais amplo, maior capacidade de leitura e, no geral, notas melhores na escola.

O principal objetivo do estudo foi fornecer informações úteis aos profissionais de saúde pública que dão conselhos e orientação aos pais ocupados. Um aspecto levado em consideração pelos pesquisadores durante a análise dos dados foi a questão de quão bem as famílias funcionam - ou seja, como os membros se comunicam, estão emocionalmente conectados e ajudam uns aos outros a resolver problemas. Descobriu-se que os benefícios da dieta são essencialmente os mesmos, independentemente de quão funcionais as famílias pareçam ser.

O bom exemplo

"Tudo começa pelo exemplo que os pais querem passar aos filhos. Ao verem o cuidado e o que comem nessa fase será fundamental para a construção dos hábitos alimentares dessas crianças no futuro", explica a nutricionista Carla Caratin. E complementa: "A refeição é importante inclusive para criar o hábito em família. Sabemos que o ato de se alimentar está muito ligado ao bem-estar, a qualidade de vida e aos bons hábitos alimentares", diz ainda.

Os pesquisadores esperam divulgar este estudo para motivar as pessoas a terem mais jantares em família como uma intervenção relativamente simples para ajudar crianças e adolescentes a formar hábitos alimentares saudáveis.

Este é um bom momento para introduzir novos alimentos e criar uma boa relação deles com a hora de comer. "Deixe o prato deles bem colorido, não trate o momento como um castigo ou um impedimento para algo que eles gostem e respeite quando a criança disser que comeu o suficiente", sugere a nutricionista Ellen D´arc. "Qualquer coisa que possa ajudar a promover o consumo saudável e os estilos de vida nesse período é importante. É um grande momento de transição", diz Kathryn Walton, autora principal do estudo.

  • Jantares familiares mais frequentes foram associados a uma maior ingestão dietética, independentemente do nível de funcionamento familiar: as interações entre o funcionamento familiar e a frequência do jantar familiar não foram significativas;
  • Mais especificamente, adolescentes do sexo feminino e masculino que tiveram jantares familiares mais frequentes, consumiram mais frutas e vegetais, e comeram menos fast food e comida para viagem;
  • Participantes do sexo masculino que jantavam em família com mais frequência, tiveram uma menor ingestão de bebidas açucaradas.

Fonte: Kathryn Walton

Reforça os vínculos afetivos: O fato de haver um momento diário em que todos de casa estão juntos - e podem compartilhar os acontecimentos do dia, contribui com a valorização da cumplicidade, da atenção e do afeto que pais, filhos e irmãos nutrem entre si. Tornar a refeição um momento de união é unir o útil (alimentar-se) com o agradável (estar com aqueles que ama);

Fortalece a identidade familiar: O sentimento de pertencimento à família traz segurança e é um poderoso antídoto contra males como a depressão, a solidão e o isolamento. Os momentos à mesa com a família servem como um lembrete dessa relação e tornam mais forte a união familiar;

Favorece a reconciliação: Pequenas brigas no dia a dia são comuns, mas podem ser agravadas quando delas resultam o afastamento e a perda de contato. O compromisso das refeições em família previne ou remedia esse problema, uma vez que os que estão brigados sabem que ficarão juntos, o que possibilita a retomada do diálogo;

Mantém a atualização sobre as notícias da família: As conversas na hora da refeição funcionam para que todos fiquem sabendo dos últimos fatos envolvendo a família. Pode ser sobre o dia difícil no trabalho, o bom desempenho em uma prova ou a saúde de um parente distante, por exemplo;

Facilita o aconselhamento: A hora da refeição é ideal se alguém precisar de um conselho, uma vez que é um momento em que todos estão relaxados. É um bom momento também para comunicados importantes, como anúncio de gravidez, namorado novo ou promoção no trabalho.

Exercita a oração: Se a família tem alguma fé religiosa, a refeição é sempre um momento para agradecer a Deus e exercitar a espiritualidade. Se os pais têm a preocupação de transmitir a fé para os filhos, esse testemunho diário é importantíssimo;

Educa para a alimentação saudável: Use o exemplo para convencer outras pessoas da família a se alimentarem melhor.