A conduta que nos eleva

Comportamento

A conduta que nos eleva

Você já praticou uma boa ação hoje? Ajudou alguém? Doou alguma coisa que não usava mais?


Uma boa ação é sempre uma via de mão dupla de satisfação
Uma boa ação é sempre uma via de mão dupla de satisfação - Unsplash/Banco de imagens

 

Você já praticou uma boa ação hoje? Já ajudou alguém? Doou alguma coisa que não usava mais? O brasileiro é solidário e isto fica ainda mais claro em situações como catástrofes naturais e tragédias quando doações em dinheiro, alimentos, roupas e outros produtos são enviados de todo o País. E este movimento tem sido reforçado durante a pandemia do novo coronavírus, segundo mostra a pesquisa "Eu ajudo, tu ajudas, todos ajudam" realizada pela Rede Filantropia. Segundo o levantamento, 89,8% dos entrevistados informaram ter feito durante a pandemia doações em dinheiro, roupas, alimentos, medicamentos e tempo em trabalhos voluntários. Deste total, 20,7% disseram já ter realizado ambas as ações - doações e trabalho voluntário para alguma organização da sociedade civil ou iniciativa social.

"Uma boa ação é sempre uma via de mão dupla de satisfação. Ela favorece a quem recebe e também favorece a quem pratica", diz a psicóloga Márcia Luz. Se você já fez uma boa ação, deve se lembrar da sensação de ficar com o coração quentinho, acompanhada de um sentimento espetacular dentro de você.

Segundo a última pesquisa realizada pelo IBGE em 2018, o número de brasileiros realizando trabalho voluntário era de 7,2 milhões. Diante desse número fica fácil imaginar a quantidade de pessoas que tiveram sua vida transformada depois de praticar ou receber uma boa ação.

O pesquisador Jonathan Haidt, da Universidade de Virginia, nos Estados Unidos, descobriu que cada vez que você faz uma boa ação, provoca uma sensação que ele chama de "elevação" em várias pessoas, ou seja, em vários níveis. O primeiro nível é sentido pela pessoa que a recebe. Ela se sente bem em saber que alguém se importou com ela a ponto de ajudá-la de alguma maneira. O segundo nível de "elevação" ocorre para quem fez a boa ação. Ele descreve este momento como "espiritual", pois a pessoa sente-se num novo patamar com o mundo, tão boa é a sensação. "Cada boa ação que você pratica é uma luz que você cria em torno de seus próprios passos", diz um texto do médium Chico Xavier.

O terceiro nível que pode ocorrer numa boa ação se dá com as pessoas que presenciam a boa ação acontecer ou escutam o relato da mesma. Ou seja, a boa ação afeta as pessoas envolvidas e as que estão em contato com elas.

Comece com pequenas coisas: Os pequenos atos fazem diferença e não exigem muito tempo e esforço. Quando fazemos uma boa ação, desencadeamos uma série de gentilezas e isto nos torna mais saudáveis;

Pense localmente: Valem os favores à família, aos amigos e aos colegas de trabalho. O fato de serem pessoas próximas não diminui o valor da ação. Isto fortalece as relações e beneficia a todos;

Use a cortesia: Agradeça ao motorista que o deixa entrar num cruzamento e ao balconista que lhe serve o café. Agradecer aos outros é uma boa ação. Nós é que recebemos a ajuda, mas basta agradecer para retribuir;

Fique atento às pequenas chances: Com a pressa, muitas vezes não vemos o que acontece a nossa volta. Pode pegar algo que alguém deixou cair ou recolher lixo na rua. Quando começamos a prestar atenção há muitas oportunidades para fazer coisas boas;

Seja um voluntário: Escolha uma atividade que lhe interesse. "Quando há interesse, é muito maior a probabilidade de a ajuda continuar", explica Pamela Cushing, antropóloga cultural da Universidade do Oeste de Ontário, no Canadá.

Fonte: Marylène Gagnél, psicóloga canadense