Estômago vazio, decisões impulsivas

Saúde emocional

Estômago vazio, decisões impulsivas

Tem alguma resolução importante a tomar? Coma alguma coisa antes


Com o estômago vazio, as pessoas se contentam com recompensas imediatas, embora menos satisfatórias
Com o estômago vazio, as pessoas se contentam com recompensas imediatas, embora menos satisfatórias - Pexels/Banco de imagem

Se você coloca a culpa na fome quando está de mau humor, saiba que a justificativa é válida. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Dundee, na Escócia, concluiu que, quando estamos de estômago vazio, tendemos a tomar decisões impulsivas e, possivelmente, ruins. O estudo que tratou de investigar a questão, publicado na revista Psychonomic Bulletin & Review, revelou que, com o estômago vazio, é melhor evitar qualquer tipo de decisão.

"A fome é um aprimorado recurso do nosso organismo para garantir a oferta de energia e, por consequência, a sobrevivência. Assim como boa parte de nossas funções fisiológicas, o apetite e a saciedade são controladas por hormônios que, de forma complexa, atuam na comunicação entre o sistema digestivo e o cérebro", explica a nutricionista Sinara Menezes.

Segundo o psicólogo Benjamin Vincent, um dos autores do estudo, as preferências das pessoas mudam radicalmente quando estão ou não com fome. Isto acontece porque sensação de fome nos deixa impacientes e existe uma tendência mais significativa para procurar uma recompensa imediata, em vez de esperarmos para comer algo nutricionalmente mais ricos, depois.

O estudo

Os pesquisadores acompanharam 50 participantes, fazendo perguntas a eles sobre comida, dinheiro e outros tópicos baseados em recompensa. A mesma pergunta foi quando eles estavam com fome e quando estavam satisfeitos. Ao responder a perguntas relacionadas a alimentos com o estômago vazio, a maior parte dos indivíduos optou por consumir uma refeição imediatamente, ainda que mais pobre, em vez de esperar para ter outra mais abundante.

E quando tiveram que responder perguntas sobre outras formas de recompensa, o mecanismo de escolha permaneceu o mesmo. Ao falar sobre prêmios, os participantes famintos costumavam escolher ganhos hipotéticos menores, mas atribuídos imediatamente, em vez de outros maiores que exigiam um pouco de espera. O estudo evidencia que a fome é capaz de alterar nossas escolhas em qualquer esfera, tornando-nos mais impacientes e menos razoáveis.