SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 23 DE SETEMBRO DE 2021
Rio Preto em Foco

O grande 'rio-pretista' Bozó

Nascido no Mato Grosso do Sul, Adeildo Pinto da Silva é um grande músico e foi uma estrela do vôlei - em Rio Preto e no mundo

Bruno FerroPublicado em 09/01/2021 às 19:55Atualizado há 06/06/2021 às 13:48
Nascido no Mato Grosso do Sul, Adeildo Pinto da Silva é um grande músico e foi uma estrela do vôlei - em Rio Preto e no mundo (acervo particular)

Nascido no Mato Grosso do Sul, Adeildo Pinto da Silva é um grande músico e foi uma estrela do vôlei - em Rio Preto e no mundo (acervo particular)

Como dizia o ex-prefeito Manoel Antunes, quem nasce em Rio Preto é rio-pretense, quem vive a cidade é "rio-pretista". Um deles é o mato-grossense de Ponta Porã Adeildo Pinto da Silva, o Bozó. Na sua infância, em Corumbá, a presença do violão já era diária em sua vida através de seu pai, Antenor Pinto, um exímio concertista e autor de método de ensino do violão. E ele seguiu os passos do pai. Mas só começou sua carreira musical profissionalmente em Rio Preto, no Automóvel Clube, em 1999.

Hoje já é um dos maiores músicos da noite da cidade e de toda região. E pudera! Além de excelente músico, Bozó tornou-se uma unanimidade entre os proprietários de bares, casas de shows e clubes. Ele, seu parceiro, o ex-promotor de Justiça Eli Buchala, e amigos formam a banda Bozó, Eli & Amigos e arrastam uma legião de fãs por onde passam. Tudo com um profissionalismo de cair o queixo, coisa meio rara no meio musical.

Mas o que muitos não sabem é que Bozó foi um tremendo profissional do esporte, mais precisamente o voleibol. E começou aqui, em 1980, quando veio fazer teste no time juvenil do Automóvel Clube. Não só passou como foi a estrela do time, que ficou em 4º lugar no campeonato paulista. Mas o time foi extinto e o Palestra abraçou a equipe para disputar a 2ª divisão paulista. Foram campeões e Bozó, novamente, foi a sensação. Depois jogou no Copagas, em 1985, junto com os craques da seleção Pampa e Paulão e, em 1986 e 1987, no Chapecó, quando a equipe representou o Brasil numa Universíades, em 1987, em Zagreb, na antiga Iugoslávia (hoje Croácia).

Nesta época o time era dirigido pelo histórico técnico Bebeto de Freitas. Em ambos foi campeão estadual. Foi emprestado ao Vasco da Gama do Rio de Janeiro antes de chegar ao Time da Telesp, em 1988, sagrando-se vice campeão paulista, jogando junto com o campeão olímpico Maurício. Em 1989 foi para o Frangosul, sagrando-se bicampeão gaúcho, vice campeão brasileiro e Sul-Americano. De 1991 a 1997 atravessou o Atlântico e foi jogar no Benfica, de Portugal, tornando-se campeão português, da Taça de Portugal e da Taça das Taças. É mole?

Em 1997, voltou ao país e para Rio Preto, de onde nunca mais saiu, encerrando a carreira no time do Palestra. Foi técnico da equipe feminina de Rio Preto por 3 anos, jogou pela cidade e foi campeão em todos os jogos regionais que participou. Trabalhou por 21 anos no Palestra, até o fechamento, recentemente, e ainda atua no Sesi como professor há 19 anos.

Bozó de Ponta Porã? De Corumbá? Não. Bozó de Rio Preto e do mundo. Um "rio-pretista" gigante e querido por todos. Uma unanimidade.

Time de vôlei do Palestra. Bozó é p primeiro agachado, de óculos escuros (acervo particular)
O técnico Bozó, em 2011, do time feminino do Palestra (Fotos: Acervo particular)
Time do Copagás. Bozó (camisa 10) jogava com Carlão e Pampa (acervo particular)
Seleção Brasileira de vôlei em Zagreb. Bozó é o segundo agachado (acervo particular)
O músico Bozó em Mirassol, 2019 (acervo particular)
Uma das muitas viagens pelo país (acervo particular)
Bozó, Eli e Amigos, uma das mais tradicionais bandas de Rio Preto (acervo particular)
Bozó pelo Benfica em jogo contra o rival Sporting (acervo particular)
Bozó no Vasco da Gama, em 1986 (acervo particular)
Bozó (com o violão) reencontra Maurício, Pampa e Carlão em Rio Preto no projeto Banco do Brasil (acervo particular)
Bozó no Chapecó em 1987 (acervo particular)
Benfica de Portugal: Bozó é o primeiro agachado, com seu filho Matheus (acervo particular)
Time do Automóvel Clube em 1980: Bozó é quarto em pé (acervo particular)
 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por