Os primórdios do Aeroclube

RIO PRETO EM FOCO

Os primórdios do Aeroclube

Acompanhe a história dos primeiros oito aviadores e dos táxis aéreos de Rio Preto na década de 1940


Os aviadores Felinto Pedroso e Menezes, pilotos do Tupi, ladeados por Juvenal Paixão e alunos do Aeroclube
Os aviadores Felinto Pedroso e Menezes, pilotos do Tupi, ladeados por Juvenal Paixão e alunos do Aeroclube - Fotos: Arquivo Público

Em 1938, Juvenal Paixão dava início à aviação em Rio Preto. Em 6 de julho de 1939, foi criado o Aeroclube de Rio Preto, em reunião no Club Comercial, no último andar do edifício Bandeirantes, na rua Jorge Tibiriçá, de frente para a praça Rui Barbosa. Presidente de honra, prefeito Cenobelino de Barros Serra; Presidente, Theotônio Monteiro de Barros; Vice, Eupphly Jalles; Secretário, Saldanha da Gama; 2º secretário, José Augusto Costa; Tesoureiro, Maurício Novo Pacheco; Conselho, Coutinho Cavalcante, Lauro Ribeiro, Manoel Balthazar, Raimundo Bisaggio Filho, Galileu Carneiro Pinto, Arnaldo Valente e Moacir Pinto de Oliveira.

Em 8 de janeiro de 1940, era brevetada a primeira turma do Aero Clube de Rio Preto: Teotonio Monteiro de Barros, Joaquim Nunes Coutinho Cavalcanti, Duílio Pelegrini, Eupphly Jalles, Floriano Peixoto, José Botelho Paixão, Manoel Balthazar Sobrinho e Raimundo Bisaggio Neto. Foram os nossos primeiros oito aviadores, que lançavam as bases de uma tradição de dinamismo no setor, em Rio Preto.

Durante a verdadeira festa que foi a "colação de grau", o piloto Moacir Pinto fez acrobacias com um aviãozinho sobre a cidade, levando toda a população para as ruas, conforme descreve a matéria da Revista Riopretana n° 2.

Com um Piper T.H.E., em 1945, Romeu Cunha foi o pioneiro do táxi-aéreo em Rio Preto. O campo de aviação era no local da atual Redentora, chamado carinhosamente de "Campinho", numa área cedida pelo coronel Victor Brito Bastos.

O maior número de fregueses eram fazendeiros, como Neca Verdi, Minervino Carrilho, Juca Quintino, Tarlei Vilela, Reverendo Vidal, Lotf Bassitt e os políticos Ademar de Barros, Fernando Costa, Bady Bassitt, entre outros.

Os primeiros pilotos do táxi-aéreo foram Lourenço dos Santos (Baiano), Durval Sizenando, Edson Benoni, José Escobar Bergman, Sílvio Saldanha da Gama e o Xô. O reabastecimento para a volta só era possível levando o bagageiro lotado de latas de gasolina e a aterrissagem noturna só era possível com o auxílio de motoristas de táxi, que atendiam a um chamado dos pilotos, que sobrevoavam a cidade dando rajadas com o motor. Os faróis dos carros iam iluminando a pista.

Em 1949, o Aero Clube já tinha brevetado 200 pilotos. Em 1956, começou a ser construído na hoje Avenida dos Estudantes o novo Aeroporto Municipal, na gestão do prefeito Alberto Andaló, inaugurado oficialmente em 19 de março de 1959. Constroem-se o Hangar da A.R.S.A.T.A, o Aero Rancho. Frota renovada com aviões mais modernos: Cesnas, Bonanzas, muito bem equipados.

O Aero Clube cresceu muito, mas, infelizmente, por determinação federal, todos os Aero Clubes foram fechados em 1962. Somente em 1967 voltaram a funcionar.