SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 07 DE JULHO DE 2022
RIO PRETO EM FOCO

Veja fotos aéreas históricas que mostram o progresso de Rio Preto

Rio Preto, em uma década, dobrou seu número de habitantes e chegou a 1970 com a marca visível do progresso

Cesar Belisario
Publicado em 12/04/2020 às 00:30Atualizado em 07/06/2021 às 03:56
Vila Universitária, com vistas também do Teatro Municipal, em um dos registros do anos 1970

Vila Universitária, com vistas também do Teatro Municipal, em um dos registros do anos 1970

A partir do progresso que a cidade imprimiu depois da eleição do prefeito Alberto Andaló (1956 -1959), Rio Preto não parou mais. Abriu avenidas e resolveu o problema da canalização do Rio Preto na gestão seguinte, do prefeito Philadelpho Gouveia Neto (1960 -1963) e se vestiu de modernidade na gestão Lotf João Bassitt (1964-1969), com a construção de um novo Paço e Câmara Municipal, além da grandiosa obra sobre o trilhos da Fepasa: o viaduto Governador Abreu Sodré, no início da avenida Alberto Andaló.

Rio Preto, em uma década, praticamente, dobrou seu número de habitantes e adentrou a década de 1970, na primeira gestão do prefeito Adail Vettorazzo (1969-1973) com uma nova visão, com a chegada do primeiro distrito industrial e com a monumental obra da construção do complexo de viadutos João XXIII (Jordão Reis), na progressista gestão do prefeito Wilson Romano Calil (1973-1977). E não podemos esquecer-nos da construção dos primeiros bairros populares na cidade, nas administrações do prefeito Manoel Antunes (1983 -1989 e1993-1997) e de Antônio Figueiredo de Oliveira (1989-1993). Foi quando a cidade ultrapassou os limites da avenida Cenobelino de Barros Serra e dos trilhos da Fepasa, na Rio Preto Paulista.

Tá certo que o primeiro bairro popular da cidade, o Eldorado, já existia já há mais de uma década. Mas a cidade avançou muito mais e está quase grudando nas cidades vizinhas, como Mirassolândia, Mirassol e no distrito de Talhado, entre outras. Já já chega.

Iniciando suas atividades em 1972, a Riopretana Empreendimentos Imobiliários contratou, em junho de 1976 a agência fotográfica "Inocencius Reportagens", de Jair Inocêncio, que tinha sede na rua Antônio de Godoy, 3494, para fotografar de avião a evolução dos bairros que surgiam na cidade, que já completava 124 anos de existência. Foram produzidas 40 belíssimas fotos, em papel especial, em preto em branco, dos bairros Alvorada, Anchieta, Seixas, Jardim Europa, Jardim Soraya, Vila Goios, Jardim Mugnaine, Redentora, Boa Vista, Vila Ideal, Vila Diniz, Parque Celeste, Vitória Régia, Vila Imperial, Universitário, Vila São Joaquim, Vila Santa Cruz, Vila Ipiranga, Jardim Nazaré e Vila Maceno.

O material chegou até esta Coluna graças a um telefonema do proprietário da imobiliária, Edson De Giorgio, dizendo que gostaria de doar os originais. São fotos únicas, incríveis. Fotos de cima, geralmente, eram tiradas de cima dos prédios, principalmente do Edifício Ipesp. Então, não podíamos perder a oportunidade rara. Hoje, elas estão devidamente armazenadas e digitalizadas no Arquivo Público Municipal e, nesta edição, exibimos algumas delas.

Obrigado, Edson De Giorgi.

Vista Aérea do Jardim Soraya e Igreja São Judas captada pela agência 'Inocencius Reportagens' (Fotos: Inocencius Reportagens)

Avenida dos Estudantes, na altura onde se localiza a sede do Corpo de Bombeiros, em um dos registros feito pela agência

Vista da pista entre o viaduto da Bernardino e Posto S. Pedro (Jaime Colagiovanni)

Vila Imperial, na altura da rua Independência

Vila Diniz, tendo ao fundo a avenida Murchid Homsi, em um dos registros aéreos

Bairros Vila Bom Jesus e Santa Cruz - avenida Adolfo Lutz

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por