À espera das aulas

Painel de Ideias

À espera das aulas

Semana que vem comemoramos o Dia do Professor. A quarentena tem servido para mães e pais perceberem a importância dos educadores. Quem acompanha de perto as aulas dos filhos (e isso tem sido mais comum na pandemia) percebe como é difícil a vida do professor


-

- Papai, quero ir pra "ecola"! A fala era seguida de choro.

-Quer ir pra onde?, fiz ele repetir.

- Pra "ecola"... buááá!

Não resisti. Liguei a câmera, a cena precisava ser registrada. Fiquei feliz. Tão pequeno, já tem uma imagem positiva da escola. Pra ele, é onde se brinca com os amigos e com as professoras. Mas também fiquei triste. Sua passagem pela escola é curta. Estreou este ano. Frequentou dois meses e veio a pandemia. Aos dois anos, aulas remotas são difíceis. Não é fácil (nem bom) mantê-lo atento a uma tela. Nessa idade a frequência à escola não é obrigatória. Assim, as crianças foram aos poucos deixando a turma. Só restou ele. Não desistimos. Não me imagino tirando um filho da escola. Esses dias ele foi a uma atividade de acolhimento. Lembrou das aulas presenciais. Por isso, chorou e pediu pra voltar.

Esses tempos de pandemia não tem sido fáceis. Na educação, em especial, os prejuízos são enormes. Por vezes, sem possibilidade de reparação. Escolas foram as primeiras atividades a fechar. Pelo jeito, serão as últimas a retomar. Muito se falou dos riscos das aulas presenciais, de que os pais precisam levar os filhos para a escola pra poderem trabalhar. Tudo isso é real. Mas pouco se fala sobre os prejuízos para o aprendizado, para a formação, para o nosso já tão baixo nível educacional. Hoje, posso levar meus filhos ao shopping, ao restaurante, ao clube, à missa, ao cinema, à praia. Mas não posso levá-los à escola. Isso não é algo que eles entendam. Nem espero isso. Mas não quero que eles acreditem que a escola está em último lugar.

Semana que vem comemoramos o Dia do Professor. A quarentena tem servido para mães e pais perceberem a importância dos educadores. Quem acompanha de perto as aulas dos filhos (e isso tem sido mais comum na pandemia) percebe como é difícil a vida do professor. Não é fácil ter paciência com os próprios filhos. Com uma turma de filhos alheios, nem sempre dispostos a seguir instruções, é tarefa árdua. Acompanhar aulas online é cansativo. Ser o responsável por essas aulas e manter a disciplina sem os recursos que as aulas presenciais propiciam, é imenso desafio.

Poucos profissionais marcam nossa história. Mas entre eles certamente haverá um professor. Cada um de nós, em qualquer área profissional, encontrou ao longo do caminho professores que foram fonte de inspiração. Seja a professora do primário ou o professor do colégio, sempre haverá um mestre que deixou um legado de ensino. O professor faz todos os outros profissionais.

Meus filhos estão apenas no início. Mas professoras iluminadas têm cruzado seus caminhos. Admiro todos os dias a luta que elas travam, dosando o carinho com as crianças e o rigor no lecionar. A elas, e a todos os mestres, atolados em suas aulas remotas, gravações de vídeos e atividades à distância, em nome de meus pequenos eu digo: não desistam, vocês são essenciais. Parabéns pelo Dia do Professor.

SÉRGIO CLEMENTINO, Promotor de Justiça em Rio Preto. Escreve quinzenalmente neste espaço às sextas-feiras