Música há 50 anos

Painel de Ideias

Música há 50 anos

Na música brasileira, seria também o ano em que seriam lançados o álbum "A divina comédia ou ando meio desligado", e o primeiro dos Mutantes, que ainda contavam com a vocalista Rita Lee, futura rainha do rock brasileiro


-

A década de 1970 é considerada uma das mais profícuas em termos de produção musical e impacto musical e um dos mais marcantes da história da música. Daria para escrever uma enciclopédia sobre o tema. Mas, agora, tratarei apenas de 1970, ano que teve bastante novidade, embora não tenha sido o melhor da década.

Começo com o anúncio por Paul MacCartney do fim dos Beatles. O processo de desgaste já vinha há algum tempo. Mas o anúncio oficial só ocorreu em abril. Pouco depois, John Lennon, que tinha feito três discos experimentais, lança com Yoko Ono o seu primeiro álbum solo, considerado por muitos de seus fãs, o melhor. A banda Queen é formada em abril. Também surge alguns dos precursores do Heavy Metal, a banda Aerosmith em Boston, nos Estados Unidos, e o Black Sabbath, de Ozzy Osbourne em Birmingham, na Inglaterra. Também na Inglaterra é lançado o primeiro álbum homônimo da banda de rock progressivo (depois romântico) Supertramp. Uma curiosidade sobre eles é que só gravavam os discos de madrugada. O conjunto Creedence Clearwater Revival lança um dos maiores clássicos de todos os tempos "Have You Ever Seen The Rain?".

Das trilhas sonoras de filmes, destaco duas. A do clássico dos dramas, "Love Story", vencedora do Oscar, e outro clássico do faroeste, "Os abutres tem fome", de Enio Morricone, um dos maiores compositores de todos os tempos de trilhas sonoras. Morreu há dois meses com 92 anos.

Ainda na música internacional, tivemos lançamentos importantes. O álbum imortal de Elton Honh, "Your Song" que até o fim do ano lançaria mais outro. O Christie lançaria seu maior sucesso, "Yelow River". O rei Elvis Presley gravaria um grande sucesso de Simon e Garfunkel, "Bridge Over Troubled Water". Esta música marca a fase profundamente religiosa de Elvis. No total, quase um terço da obra dele. O mundo perderia neste ano Janes Joplin e Jimmy Hendrix.

Na música brasileira, seria também o ano em que seriam lançados o álbum "A divina comédia ou ando meio desligado", e o primeiro dos Mutantes, que ainda contavam com a vocalista Rita Lee, futura rainha do rock brasileiro. Também foi o primeiro álbum do maior de todos, Tim Maia, com o álbum homônimo, em que tinha os eternos clássicos, "Azul da cor do Mar" e "Primavera". Roberto Carlos lançou seu décimo álbum, também chamado "Roberto Carlos". Marcaria uma guinada na carreira do expoente da Jovem Guarda. Foi o primeiro disco em que aparece uma música religiosa, "Jesus Cristo" e a imersão do cantor no estilo romântico. Na música caipira, surgem duas duplas importantes para o gênero: Chitãozinho e Xororó e Gilberto e Gilmar. Ambas lançaram os seus primeiros álbuns neste ano. Este ano foi o prenúncio de uma nova era na música brasileira e internacional. Muito do que foi feito em 1970, influenciou gerações futuras.

TOUFIC ANBAR NETO, Médico cirurgião, diretor da Faceres, escritor e membro da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (Arlec). Escreve quinzenalmente neste espaço às quartas-feiras