Tarde te amei

Painel de Ideias

Tarde te amei

Nossos sentimentos estão mexidos. Remexidos. Lágrimas vertidas, corações debruçados sobre a dor de tantos. Que bom que seja assim. Aliás, é exatamente para isso mesmo que deve (ou deveria) servir uma pandemia. Para tirar a gente da procrastinação de aceitar e receber amor


-

Se pudesse, entre preocupada e alarmada, certamente iria ralhar: "Menino, o que você está fazendo aí? Meu menino, você pode cair, é perigoso, vai embora, eu estou bem!". Se pudesse ao menos balbuciar, certamente ela comentaria com as enfermeiras sobre a atitude corajosa do filho. Não sei. Talvez já não conseguisse falar. Apenas sentir aqueles olhos tão conhecidos que, reverentes, atravessavam a janela e a contemplavam em seu leito na UTI. A história comoveu o mundo pelas redes sociais. Jihad Al-Suwatti, de 30 anos, escalou a parede do Hospital Estadual de Hebron na cidade de Beit Awwa, na Cisjordânia, para poder ver sua mãe, de 73 anos que estava internada com câncer e Covid-19. O jovem fez isso por cinco dias seguidos até a morte dela semana passada. Ele ficava do lado de fora da janela apenas olhando a mãe e descia depois de ter a certeza que ela já havia adormecido. Sabe-se que a direção do hospital permitiu que ele entrasse para vê-la uma vez mais antes de sua morte. Chorei ao ver a foto do rapaz de olhar fito, sentado sobre as pernas no parapeito da janela. O isolamento de pacientes terminais é uma das faces mais desoladoras e cruéis dessa doença.

Temos vivido um pancadão de emoções. Nossos sentimentos estão mexidos. Remexidos. Lágrimas vertidas, corações debruçados sobre a dor de tantos. Que bom que seja assim. Aliás, é exatamente para isso mesmo que deve (ou deveria) servir uma pandemia. Para tirar a gente da procrastinação de aceitar e receber amor. De viver o amor em tempo, em vida e a contento. De despertar, sair da letargia e assumir o compromisso e as bençãos do amor. Não qualquer amor, mas do único amor verdadeiro. "Esse amor perfeito e verdadeiro só existe em Deus. Por isso não é um sentimento, menos ainda uma emoção", conforme explica meu querido amigo, o oftalmologista Rubens Siqueira em suas aulas incríveis sobre mudança interior. Segundo ele, "só o amor de Deus converte e transforma. É amor de doação, de esvaziar-se de si mesmo em favor do outro, como Jesus amou." Para enfatizar a necessidade do amor que dá sentido a vida, ele cita a maravilhosa oração de Santo Agostinho a Deus em seu momento de conversão. Que não seja tarde para ninguém viver esse amor e amar de verdade.

Tarde te amei

'Tarde te amei, ó beleza tão antiga e tão nova!

Tarde demais eu te amei!

Eis que habitavas dentro de mim e eu te procurava fora!

Eu, disforme, lançava-me sobre as belas formas das tuas criaturas.

Estavas comigo, mas eu não estava contigo. Retinham-me longe de ti as tuas criaturas, que não existiriam se em ti não existissem.

Tu me chamaste, e teu grito rompeu a minha surdez.

Fulguraste e brilhaste e tua luz afugentou minha cegueira.

Espargiste tua fragrância e, respirando-a, suspirei por ti.

Eu te saboreei, e agora tenho fome e sede de ti.

Tu me tocaste, e agora ardo no desejo de tua paz.'

ELMA ENEIDA BASSAN MENDES, Jornalista e escritora em Rio Preto. Escreve quinzenalmente neste espaço aos sábados