Painel de Ideias

Quem mexeu no meu vírus?

Para uns, a Covid-19 foi inventada pelos cientistas dos Estados Unidos e dispersado no mundo pelos chineses. Para outros, foram os chineses que o fabricaram para ganhar dinheiro com a venda de respiradores, testes e máscaras...


-

Teorias à parte, conspirações existem.

Tanto existem que recebo todos os dias vídeos e documentos sobre elas. Após a queda do Muro de Berlim, o fim da temida URSS e a nunca vista Guerra Fria, tivemos um enxame de invasões interplanetárias. A Ufologia esteve em alta até dia desses. A última notícia a respeito das invasões espaciais foram as imensas esferas num canavial em Riolândia. Aqui pertinho.

As canas foram retorcidas e derrubadas no solo como se uma imensa máquina as houvesse esmagado.

Se você viu o filme Sinais, de Mel Gibson e Joaquin Phoenix, se lembrará de como os ETs torceram o milharal perto da casa do pastor Graham Hess, na Pensilvânia. Preciso deixar claro que os sinais no canavial são posteriores aos sinais no milharal do filme. Também deixo claro que os "ETs da Riola" não foram tão afoitos quanto os do filme. Estes só amassaram as canas e foram embora.

A região sempre foi pródiga com histórias do espaço. Em 1977, por exemplo, um guarda noturno de uma fábrica de móveis de Mirassol foi abduzido e levado a uma nave espacial onde teve relações sexuais com uma ET. O interessante é que o protagonista da epopeia extraterrestre desapareceu e, um mirassolense, Ney Matiel Pires, tomou conta do assunto e ganhou celebridade no mundo dos ufólogos; recebeu visita até de J.J. Benitez. Outros pesquisadores famosos foram Paulo de Castro Teixeira, Álvaro Fernandes e Sônia Trigo Alves.

Há o caso de Onílson Pátero, abduzido em 1974, perto de Guarantã, e deixado por uma nave espacial em uma montanha em Colatina, no Espírito Santo. Trata-se de uma história consistente. Os bambambãs da ufologia brasileira Max Berezovsky, Walter Buhler, Guilherme Wirz e Charolombe Kiriakakis vieram a Catanduva para investigar e saíram divididos entre acreditar ou não na história. Até o DOPS entrou no caso.

Agora, lendo o nome dos ufólogos, cheguei a uma conclusão óbvia: Berezovsky, Buhler, Wirz e Charolombe Kiriakakis... esses caras não existiam e nem existem. Com esses nomes estranhos eles foram inventados pela CIA, pelo FBI e pelo DOPS para estigmatizar Pátero e fazer a população acreditar que era tudo invenção da mente dele. Isso sim é uma conspiração da contrainformação, ou seja, denegrir para desacreditar. Resultado direto da Operação Majestic!

O jornalista Luizinho de Almeida, por volta de 1989, também gravou uma estranha e veloz luz sobre a Represa Municipal (a do Dahma) quando filmava uma festa de aniversário em uma casa no Jardim Fuscaldo. Eu vi o vídeo.

Agora, com o advento do coronavírus, empobreceram os conceitos das teorias conspiratórias. Para uns, a Covid-19 foi inventada pelos cientistas dos Estados Unidos e dispersado no mundo pelos chineses. Para outros, foram os chineses que a fabricaram para ganhar dinheiro com a venda de respiradores, testes e máscaras... De uma coisa tenho certeza, a Covid-19 me parece nome de galáxias ou constelações, como Messier 33 ou NGC 598, que volta e meia aparecem em fotografia do telescópio Hubble.

Pensando bem, todos somos chegados a uma teoriazinha conspiratória. Um exemplo é o excomungado juiz Sérgio Moro: para os petistas, ele estava a serviço da CIA; agora, para os bolsonaristas, ele é comunista. Cá entre nós, na minha teoria, ele é apenas um outsider. Desmascarar o Moro é como aceitar que o Covid-19 é apenas uma gripezinha, que Pátero inventou a abdução, que Ney Matiel Pires assumiu a personalidade de Antonio Carlos Ferreira (o verdadeiro abduzido), que o canavial entortado de Riolândia é coisa de Photoshop, que os sinais do milharal do filme de Gibson é fato real...

E querem saber, tirem a mão do meu vírus!

LELÉ ARANTES, Jornalista, escritor, historiador e membro da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (Arlec). Escreve quinzenalmente neste espaço às quartas-feiras