Prevenção salva

Editorial

Prevenção salva

Estatísticas só demonstram a extrema importância da prevenção para o diagnóstico precoce


Editorial
Editorial - Reprodução

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que em cada ano do triênio 2020/2022 o Brasil registre 66.280 novos casos de câncer de mama, com risco de óbito em 61 casos a cada 100 mil mulheres. Pesquisa feita pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer mostra que o câncer de mama é um dos três tipos de maior incidência, junto com o de pulmão e o colorretal. E o que mais afeta mulheres em 154 países dos 185 analisados. Houve 2,1 milhões de novos casos de câncer de mama em 2018. Só em 2019, no Brasil, foram estimados 59 mil casos. Uma a cada oito mulheres poderá desenvolver a doença ao longo da vida.2,1 milhões de novos casos de câncer de mama em 2018

São números suficientemente preocupantes para que sejam ignorados. Ao contrário, essas estatísticas só demonstram a extrema importância da prevenção para o diagnóstico precoce e a efetividade do tratamento. O câncer de mama é a primeira causa de morte entre as mulheres no Brasil. A incidência da doença aumenta em mulheres a partir dos 40 anos, sendo que a partir dos 60 anos o risco de morte é dez vezes maior.

Os médicos são enfáticos sobre a necessidade da prevenção e do diagnóstico precoce, que aumenta consideravelmente as chances de cura, chegando a 95% dos casos. Por isso, segundo os especialistas, é fundamental as mulheres procurarem o médico a qualquer sinal de alteração ou anormalidade nas mamas. O INCA afirma que a mortalidade da doença diminui em 20% nas mulheres entre 50 e 69 anos que fazem o exame preventivo a cada dois anos. A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda a realização da mamografia regular anualmente a partir de 40 anos.

Não se pode simplesmente deixar de lado todo esse conjunto de dados e orientações médicas para combater uma doença agressiva e letal.

Estamos no Outubro Rosa, assim chamado desde os anos 1990 para justamente chamar a atenção para a importância dos exames e para o período no qual são feitas campanhas de conscientização dirigidas às mulheres. A mamografia, segundo os médicos, segue sendo o mais prático exame de rastreamento. Hospitais e clínicas de Rio Preto e região engajaram-se nesse trabalho que visa reduzir a incidência da doença.

Portanto, o grande inimigo da saúde da mulher é o diagnóstico tardio. Mas há saída e esperança na realização de exames periódicos e na atenção à saúde diariamente. Prevenção salva vidas.