Volta às aulas

Editorial

Volta às aulas

O desafio doravante é a retomada das aulas presenciais, tema que vem sendo discutido em todo o País


Editorial
Editorial - Reprodução

A área da Educação é, sem nenhuma dúvida, um dos setores mais fortemente afetados pela pandemia de coronavírus. A suspensão das aulas, desde os primeiros sinais de recrudescimento da doença no País, foi o efeito mais duro e a medida mais adequada para evitar a contaminação de alunos, professores e funcionários das escolas, desde o ensino infantil ao superior.

E assim estamos há quatro meses: estudantes em casa, conteúdo atrasado, escolas fechadas, professores tentando manter o mesmo nível das aulas presenciais na internet à qual, aliás, nem todos têm acesso. Sob o ponto de vista prático, a Covid já afetou não só o calendário como também a qualidade do ensino. O ano letivo de 2020 está seriamente comprometido para os 47,8 milhões de estudantes brasileiros, 38,7 milhões dos quais estão na rede pública e 9,1 milhões no sistema particular.

Segundo pesquisas feitas por institutos ligados à área educacional, Estados adotaram diferentes estratégias durante a quarentena, como o envio de materiais digitais por parte dos professores para que os alunos acessem em casa com o apoio de livros didáticos e as videoaulas. Esta solução, que tem lá seus méritos, esbarra num problema social que não pode, nem deve, ser deixado de lado nesta análise: mesmo que a maioria dos alunos tenha acesso a computador, celular e internet, ainda há uma parte deles que não dispõe de tais recursos tecnológicos. As brutais diferenças sociais do Brasil ficaram ainda mais latentes. Além disso, não se pode deixar de lado o fato de que nem todas as escolas e nem todos os professores estão preparados para esta mudança radical no modo de ensinar. Outra questão é como será feito o registro de presença dos alunos e a avaliação do desempenho deles.

A educação a distância é uma realidade no mundo todo. E é bem-vinda, ao ser mais uma opção de acesso à escola. Porém, deve ser vista exatamente como é: uma alternativa.

Realidade posta, o desafio doravante é a retomada das aulas presenciais, tema que vem sendo discutido em todo o País por educadores, pedagogos, pais, médicos, representantes das escolas e secretarias de Educação.

A Prefeitura de São Paulo, por exemplo, decidiu deixar a cargo dos pais a decisão de mandar ou não os filhos à escola ainda durante a pandemia, mesmo com o retorno às aulas autorizado pelo governo do Estado dentro dos critérios do Plano SP.

Muitas propostas estão sobre a mesa. E este é um tema vital para o País. Deve ser debatido com urgência e com muita responsabilidade, pois envolve a saúde de milhares de crianças, jovens e profissionais da Educação.