O contorno e a rodovia

Editorial

O contorno e a rodovia

Tantos anos e muita luta depois, eis que a cidade finalmente vê encaminhadas duas grandes intervenções na área dos transportes


Editorial
Editorial - Reprodução

Rio Preto recebeu duas importantes notícias nesta sexta-feira, que terão forte impacto no futuro da maior cidade da região noroeste do Estado. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, participou de uma videoconferência organizada pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) e, ao responder questionamento do prefeito Edinho Araújo, afirmou que a duplicação dos 17,8 quilômetros da rodovia BR-153, em Rio Preto, deverá ser concluída até o fim do ano.

A obra, que começou em 2016, está orçada em R$ 260 milhões. Nas palavras do ministro Tarcísio, "não vai faltar dinheiro" para a conclusão dos trabalhos. Reivindicação antiga da cidade, obra necessária para trazer mais fluidez e, principalmente, segurança no tráfego intenso de veículos, a duplicação da BR mobilizou, ao longo dos anos, população e governantes. Por falta de vontade política ou de dinheiro, ficou anos apenas no papel. Uma das rodovias mais importantes do País, a duplicação da BR-153 no trecho urbano é estratégica para a cidade e região.

Outra informação que merece destaque é o anúncio de que o contorno ferroviário em Rio Preto, Cedral e Mirassol ficará pronto até 2026, segundo projeções feitas pelo diretor regulatório institucional da empresa Rumo, Guilherme Penin, em entrevista coletiva virtual. Uma obra ainda mais necessária depois da tragédia ocorrida em 2013, no Jardim Conceição, quando oito pessoas morreram depois que uma composição da ALL descarrilou. A construção do contorno ferroviário é uma contrapartida da Rumo à renovação antecipada do contrato de concessão da malha ferroviária paulista.

Segundo o diretor da empresa, o projeto executivo do contorno está em fase final de elaboração e depende de licenças ambientais, que estão sendo providenciadas. A obra custará R$ 497,3 milhões e terá 59 quilômetros de extensão. Serão construídas cinco pontes e 20 viadutos ferroviários. O contorno começará na área rural de Cedral e terminará fora do perímetro urbano de Mirassol. A distância dos trilhos do Centro de Rio Preto deverá ser de dez quilômetros.

Tantos anos e muita luta depois, eis que a cidade finalmente vê encaminhadas duas grandes intervenções na área dos transportes, que terão importância extrema na mobilidade urbana.

Duas grandes obras, dignas da grandeza e da importância de São José do Rio Preto.