Leite materno

ARTIGO

Leite materno


O neurocirurgião Eduardo Silva
O neurocirurgião Eduardo Silva - Johnny Torres/Arquivo

O leite humano é um fluido de cor branca opaca produzido pelas glândulas mamárias das mulheres. Ele é considerado um alimento que fornece nutrição e hidratação completa e suficiente para suprir as necessidades dos recém-nascidos durante os seis primeiros meses de vida. O aleitamento materno é a maneira mais efetiva de proporcionar vínculo e conexão psicológica entre recém-nascido e a mãe, garantir a sobrevivência, energia e saúde para o bebê.

A composição do leite materno é rico em anticorpos; fatores de crescimento; proteínas (aminoácidos essenciais) que ajudam o bebê a crescer e desenvolver-se; carboidratos; hormônios; enzimas que melhoram a digestão e a absorção de ferro; lipídios; vitaminas (A, complexo B, C, E e K) e minerais (cálcio, ferro, fósforo, magnésio, sódio, flúor, zinco, selênio, cobre, iodo).

Os benefícios do uso do leite materno são: nutrição completa, previne anemia, facilita digestão, reduz as cólicas do bebê, fortalece o sistema imunológico, auxilia no desenvolvimento e na maturação do cérebro e retina, previne alergias, a obesidade e a intolerância ao glúten, aumenta o vínculo mãe-filho, a sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária, e é de graça, natural, prático e não desperdiça recursos naturais. A conexão mãe-recém-nascido mantém a criança calma e propicia uma boa condição cognitiva. Os benefícios proporcionados às mães são: maior proteção ao risco de câncer de mama, ovário e doenças cardiovasculares, ajuda a recuperar o peso, melhora a autoestima, o senso de valor, facilita na superação de desafios e depressão.

As imunoglobulinas e os ácidos láurico, cáprico e caprílico do leite materno apresentam propriedades antiinfecciosas contra vírus, bactérias e fungos do trato urinário e respiratório, otite, meningite e gastroenterites.

Os ácidos graxos poli-insaturados essenciais (ácidos linoléicos, alfa linoleícos, e o docosa-hexanóico (DHA), presentes no leite materno são fontes de energia para o neonato e componentes fundamentais na formação e desenvolvimento do cérebro e retina. A composição do leite varia na dependência do estágio da lactação, da hora do dia, do período de amamentação, da idade e nutrição, tempo de gestação e da característica da mãe. A amamentação exerce influência até a idade adulta em fatores como: redução da tendência ao diabetes, à obesidade, o nível de QI, a escolaridade e principalmente a imunidade.

O ideal é oferecer o leite para o bebê na primeira hora após o nascimento.