Estoicismo e a pandemia

ARTIGO

Estoicismo e a pandemia

Permaneça fiel aos seus princípios, demonstre resignação diante desse momento histórico


-

As medidas de isolamento imposta pela pandemia de Covid-19 trouxeram muitas perdas para centenas de milhões de pessoas ao redor do mundo - perdas familiares, perdas financeiras e, principalmente, perdas emocionais. Enquanto centenas de milhões entram em desespero, uma pequena parcela de pessoas conseguem se manter "tranquilas" diante dessas adversidades. E muitas outras, se questionam o porquê.

Cunhada por volta do ano 300 a. C., a corrente filosófica Estoicismo, liderada por Epiteto, difundido por Sêneca e largamente defendido por Marco Aurélio como a única forma de atingir a felicidade é através das nossas virtudes. E é nessa corrente filosófica, na qual vários presidentes americanos talharam suas decisões e que podemos tirar lições e aprendizados.

Ou seja, nossas ações diante de todos os obstáculos enfrentados nos dias atuais, sejam, quais forem, devem refletir quem somos e aquilo em que acreditamos. A opinião dos outros, o que falam ou fazem não deve corromper nosso espírito, nosso caráter e nossas atitudes. Devemos depender unicamente dos nossos próprios atos e só assim sairemos fortalecidos desse período histórico.

E o que o estoicismo pode nos ensinar? A seguinte alegoria: a vida é uma carroça, que segue por caminhos tortuosos. Eu e você somos um cachorro amarrado à essa carroça, andando para onde ela vai. Desta forma, quando essa carroça se move, temos que nos mover também e quando a carroça para, nós não conseguimos sair muito distante dela. Temos um raio de dois a três metros da carroça. Quando começa a mudar seu curso, temos que mudar o nosso curso também.

A beleza desse processo é entender que temos uma liberdade: no momento que percebo que está indo para um lado e que as circunstâncias me empurram para um lado - essas circunstancias da vida podem ser uma pandemia, um câncer em um familiar, uma empresa que quebrou - não cabe a mim, deitar no chão como um cachorro que se nega a seguir, negando que aquilo está acontecendo. Eu vou ser arrastado porque estou amarrado à carroça.

É o que está acontecendo a milhões e milhões de pessoas no mundo todo: estão negando, querem fechar os olhos, sofrendo mentalmente com o que está acontecendo e, sendo assim, arrastadas. Perceba, a carroça - a vida - está se movendo e você, eu, nós precisamos ir para onde a carroça vai.

Cabe a cada um de nós decidir se seremos arrastados pela carroça ou se vamos segui-la, desviando das poças de água, os nossos obstáculos individuais. Podemos optar por andar, olhar para o vale e visualizar as montanhas, em outras palavras: ver as oportunidades. Cabe a nós entender e decidir. A vida acontece do jeito que tem que acontecer. Ser arrastado é sofrer massivamente pelo trajeto que a vida nos leva. Essa não é a primeira crise que acontece no mundo, nem a primeira pandemia que o ser humano enfrenta. Não será a última. Virão outras. A vida é cíclica.

O estoicismo proporciona essa reflexão e o grande aprendizado. Seja uma pessoa estoica, que permanece fiel aos seus princípios, demonstre resignação diante desse momento histórico, que pode ser classificado como trágico e de grande sofrimento para as sociedades. O ensinamento do estoicismo é para que você seja firme, senhor de si mesmo. Tenha um comportamento estoico!

Wendell Carvalho, Treinador comportamental especialista em gestão do tempo, produtividade e desenvolvimento pessoal