Turbulências no 4º poder

ARTIGO

Turbulências no 4º poder

É realmente respeitável o direito de expressão, mas exagerar com ódio nos olhos e no coração, já é demais


O isolamento social nesta pandemia, além de ser uma exigência do comando sanitário central, está permitindo imensas oportunidades de reflexões. Refiro-me à missão social e humanitária dos órgãos da Imprensa, já consagrada como 4º Poder, pois tem a finalidade de ser o veículo fiel de comunicação com toda a sociedade esclarecida, além de ter a virtude da liberdade de escrever, de falar e de agir, bem como de orientar a população em época de eleições. Não obstante, não é o que se observa nesses últimos anos, considerando que vários jornalistas profissionais, integrantes dos principais jornais e revistas das capitais, estão deixando de praticar a nobre profissão com lealdade e fidelidade, preferindo o lado maldoso de informar, com prioridade proposital de agredir todo o período dos 19 meses do governo Jair Bolsonaro. É realmente respeitável o direito de expressão (CF), mas exagerar com ódio nos olhos e no coração, já é demais, lembrando que estão se esquecendo de exercer o respeito e a dignidade ao Presidente da República, eleito pela maioria do povo brasileiro. Nunca é demais relatar, que o governo Bolsonaro, doe a quem doer, está aí firme e forte, tentando mudar a cara do país tão ferida, já com as necessárias reformas, como Previdência aprovada, Trabalhista readaptada, e a Tributária na pauta do plenário do Congresso Nacional, para ser debatida, emendada e aprovada pela maioria. O momento é de aplaudir e apoiar, são novos tempos e tempos promissores. PT e PSDB é página virada.

Todos os Ministérios foram preenchidos por profissionais qualificados, com destaque para a Economia, que mesmo diante desta pandemia inesperada e trágica, está suprindo financeiramente todos os estados do País, em defesa da vida e da saúde da população brasileira.

Na Infraestrutura, rodovias e ferrovias, prontas de norte ao sul do país, atendendo a antiga reivindicação dos caminhoneiros, que só trafegavam no atoleiro e tinham dificuldade de entregar a suas mercadorias. Término do afluente artificial do rio São Francisco, no Ceará. Agricultura, com recorde de produção de grãos para atender todos os pedidos de exportação da Europa. Meio ambiente, com projetos atualizados sobre a fiscalização do desmatamento clandestino da Amazônia, pois neste governo, a Amazônia pertence realmente ao Brasil, e não está leiloada, como querem. Obrigação legal de obras de Saneamento Básico, para tratamento de água, esgoto, lixo doméstico e sanitário, com possibilidade de privatizar com licitação obrigatória. Na Educação, aprovação da FUNDEB, amparando todos os cursos dos jovens estudantes, além de outras obras importantes que irão acontecer. A verdade é uma só, governo que não tem corrupção, pode perfeitamente superar as dificuldades desta terrível doença, e a participação de militares é uma condição pessoal pois Democracia está na frente das Forças Armadas. O bochicho de reeleição não existe, e quando acontece é de origem dos seus admiradores conscientes, e nesta fase reiteramos que o 4º Poder deve agir, mas com lealdade e sinceridade. Para aqueles que pretendem derrubar Jair Bolsonaro, sempre é bom citar as palavras sagradas de Santo Agostinho: "Ninguém consegue derrotar uma pessoa honesta". Quem viver, verá!

Nelson Nagib Gabriel, Médico e advogado