Pensando fora da caixa

ARTIGO

Pensando fora da caixa

Há verdadeira guerra entre internautas e a culpa é a politização de certos temas


Sabemos pouco sobre a pandemia e temos de nos valer dos mais preparados, os médicos. Há aqueles que pensam dentro e aqueles que pensam fora da caixinha. Dentro, em função da formação e respeito pela Academia, estão os que seguem protocolos oficiais. Vamos dar-lhes razão. Têm razão porque são ensinados a seguir regras. Regras são necessárias nesse ramo. Há muito charlatão por aí. Contudo, estamos vivendo uma emergência, em meio a informações contraditórias. Daí, a existência de profissionais que pensam fora da caixinha.

Nessa emergência, talvez, alguns procedimentos sejam aceitos, desde que não firam a ética médica ou coloquem em risco a saúde do paciente. No caso, são aceitas as receitas da vovó e os palpites elaborados por gente graúda. Por gente graúda entenda-se médicos que saem dos protocolos. As pessoas assistem TV, ouvem rádio, leem jornais e acessam redes sociais. Nesses veículos há de tudo. Então, fenômenos como um presidente receitando detergente, embora raros, acontecem. Por aqui mesmo, na terrinha, ocorreram esses palpites heterodoxos. Há verdadeira guerra entre internautas e a culpa é a politização de certos temas. Tragédia nacional. Existe uma frase que diz "quando a política entra por uma porta, a justiça sai por outra" (François Guizot). Adaptando, poderíamos dizer "quando o empirismo entra por uma porta, a ciência sai pela outra". Mas, há teses provadas, com milhares de estudos, que têm sido esquecidas ou ignoradas. É o caso do fortalecimento imunológico através das vitaminas e dos micronutrientes. Atenção: não é cura, não é vacina, não é milagre, é apenas fortalecimento do sistema imunológico.

O Brasil tem um dos maiores especialistas em vitamina D do mundo, o professor da Unifesp, Cícero G. Coimbra. Ele tem insistido na recomendação dessa vitamina para preparar o organismo para a Covid 19. Há algumas observações e trabalhos a respeito. Ela tem sido recomendada em alguns países da Europa. No caso, vem o Ministério da Saúde e diz: "não há evidência científica sobre a eficácia da vitamina D na prevenção de infecções por Sars-CoV-2". Busquemos o contraponto "Suplementos de micronutrientes e vitaminas, entre elas a D, são uma forma segura, eficaz e barata de ajudar o sistema imunológico a lutar contra a Covid 19" (Universidade do Oregon). Pequena prefeitura do Mato Grosso do Sul (Figueirão), infelizmente com amostragem insuficiente, não registrou nenhum caso de Covid 19. Ela foi provavelmente a única cidade que ministrou doses de vitamina D à população. Seria esta a razão? Não sabemos e é arriscado afirmar isso. Imprudente mesmo. No caso, a Academia pode dizer que não há estudos duplo cegos e randomizados que confirmem essa possibilidade de prevenção. Nosso Comitê, possivelmente, está investigando essa e outras alternativas. Como rio-pretense, confio em nosso secretário de Saúde, Aldenis Borin, certamente alguém que está trabalhando muito e dormindo pouco.

Laerte Teixeira da Costa, Vice-presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores e ex-vereador de Rio Preto