Um grande jornal

ARTIGOS

Um grande jornal

Não é qualquer empresa que consegue atingir essa marca impressionante de 70 anos


- JohnnyTorres

É com muita satisfação que São José do Rio Preto comemora hoje os 70 anos de circulação ininterrupta do Diário da Região. Sabidamente um dos maiores e mais importantes periódicos do Brasil, o Diário carrega consigo uma história de relevantes serviços prestados à comunidade de toda a região. História iniciada por Eufly Jalles em 1950 e desde 1959 conduzida com maestria e sabedoria pelo gigante dr. Norberto Buzzini - empreendedor com rara sensibilidade e visão de negócios. Não é qualquer empresa que consegue atingir essa marca impressionante de 70 anos de história, marcada, sobretudo, pelo engajamento e responsabilidade social. Dá para contar nos dedos jornais desse porte que podem bater no peito e se orgulhar de chegar às sete décadas de vida, das quais a maior parte sob a batuta afiada da família Buzzini.

Ao longo destes 70 anos, pelo Diário passaram centenas, talvez milhares de profissionais das mais diferentes áreas - jornalistas, publicitários, advogados, administradores, psicólogos, faxineiros, gráficos, motoristas, estagiários etc (muitos meus amigos) - que ali formaram suas famílias, criaram seus filhos, fizeram amigos e colaboraram para o desenvolvimento econômico, político e social de nossa Rio Preto. Desde sua fundação, em seu primeiro editorial, o Diário se manteve firme no propósito de ser um olhar vigilante sobre Rio Preto. Seja para denunciar desmandos de poderosos de plantão ou divulgar as boas iniciativas da nossa gente, o Diário nunca se apequenou. Sempre manteve postura de independência e linha editorial crítica, conduzida por grandes craques do jornalismo.

Por suas históricas colunas sociais, assinadas por nomes como Amaury Júnior, Nenê Homsi, Waldner Lui e Cida Caran (para citar alguns), desfilaram ao longo de sete décadas os mais notáveis representantes de nossa sociedade, sem que isso o transformasse num jornal irrelevante. Pelo contrário, em sua história, o Diário conseguiu aliar a linha editorial crítica, contundente e fiscalizadora, que caracterizam um grande jornal, à ternura de ser um produto artesanal, feito por rio-pretenses, para rio-pretenses.

Hoje, os tempos são outros. As redes sociais vieram para ficar, e, com a mesma facilidade com que postamos uma selfie, convivemos diariamente com a profusão de notícias falsas. Mentiras, distorções e ataques vis são disparados aos montes, sem controle, sem responsabilidade, atingindo a honra de alguns e influenciando o comportamento de muitos. É aí que o Diário - junto com toda a imprensa profissional - ganha responsabilidade. Mais do que nunca, precisamos de informações sérias, devidamente checadas, com fatos e versões respaldados por uma apuração minuciosa, garantindo a pluralidade de ideias, o equilíbrio e a responsabilidade social. E isso o Diário sabe fazer como poucos. Conta com uma equipe de repórteres, editores, fotógrafos e afins preparados, comprometidos e cientes de seu papel com a comunidade, sendo referência quando o assunto é jornalismo independente e imparcial. Não à toa, o jornal possui três prêmios Esso de Jornalismo, o mais importante do País. Privilégio de poucos. Que o Diário tenha vida longa na sua desafiadora missão de bem informar Rio Preto, seguindo firme os passos trilhados ao longo destes louváveis 70 anos que merecem sim ser muito comemorados. Em especial na pessoa do cidadão emérito Norberto Buzzini, a quem, em nome da Câmara Municipal de São José do Rio Preto, rendemos as nossas mais sinceras e efusivas homenagens.

Paulo Pauléra

Presidente da Câmara