Projetos estruturantes

ARTIGO

Projetos estruturantes

Um exemplo notório que podemos lembrar seria a Ponte Rodoferroviária sobre o rio Paraná


-

Em ano de eleições, mesmo em tempos de crise sanitária com a Covid-19, devemos refletir sobre as condições a serem avaliadas dos candidatos a cargos públicos.

Quais seriam as características que devemos esperar de um bom representante? Cada pessoa ou eleitor haverá de ter seus critérios e valorização dos requisitos, passando por formação profissional e ética, experiência administrativa e política, sensibilidade com causas sociais, entre tantas outras.

Aqui neste artigo quero chamar a atenção para a característica que pode passar desapercebida e não ser considerada com a importância que merece, que seria a capacidade dos eleitos de deixarem um legado de continuidade de boas políticas públicas, mas principalmente de projetos e obras estruturantes.

O que seriam projetos e obras estruturantes? Para facilitar a compreensão, vamos nos ater ao que consideramos estruturantes para a nossa região. Um exemplo notório que podemos lembrar seria a Ponte Rodoferroviária sobre o Rio Paraná, em Santa Fé do Sul, que permite a conexão do nosso Noroeste ao Centro e Norte do País, e principalmente viabiliza o maior corredor de exportação do agronegócio brasileiro.

A Ponte Rodoferroviária é agora complementada pelo advento da viabilização do anel ferroviário de Rio Preto, o qual poderá deixar como legado, a criação de um sistema bem estruturado do transporte público, fundamental para a qualidade de vida atual e futura dos moradores de São José do Rio Preto.

Neste contexto faço a apresentação e defesa de outro grande projeto estruturante: trata-se da implantação de um aeroporto internacional para passageiros e cargas em nossa região. Uma obra destas deve ser pensada num horizonte de cinquenta ou cem anos, derrubando limitações e obstáculos sociais e econômicos para inúmeras gerações que possam vir.

No caso específico das necessidades para o desenvolvimento do turismo na Estância Turística de Olímpia, este aeroporto tem capacidade de alçar o destino turístico atual com características basicamente regionais, e com mercado nas dimensões de capitais de Estados do Nordeste, ser elevada para destino nacional e internacional, com grande potencial de captação de turistas da América do Sul.

Porém o alcance e potencial de oferta de condições de crescimento regional vai muito além do turismo, só possível de se aproveitar mediante a implantação de um aeroporto com características técnicas adequadas e compatíveis com as exigências do setor aéreo, com pistas, pátios e afastado dos centros urbanos, com grande oferta de área para projetos industriais e logísticos.

O desafio econômico para implantação é o usual de todo grande empreendimento, mas em uma primeira etapa inferior aos recursos aplicados na duplicação do trecho de São José do Rio Preto da BR-153, assim como menor que os recursos investidos em um único resort em Olímpia.

Temos no Estado de São Paulo dois grandes aeroportos internacionais, um em Guarulhos (Cumbica) e outro em Campinas (Viracopos), sendo assim só teremos viabilidade em mais um aeroporto Internacional no interior do Estado e deverá ser distante dos dois existentes, e que deverá concentrar a demanda de regiões próximas, inclusive outros estados, e sendo assim, que lutemos para que seja na nossa região.

Fernando Cunha, Prefeito de Olímpia.