Acampamento de refugiados é devastado

Na Grécia

Acampamento de refugiados é devastado


Milhares fogem de acampamento, que fica na  ilha de Lesbos
Milhares fogem de acampamento, que fica na ilha de Lesbos - Divulgação/Open Society Foundations

Milhares de imigrantes na ilha grega de Lesbos ficaram sem abrigo nesta quarta-feira, 9, depois de um incêndio de grandes proporções destruir Moria, o maior e mais decadente acampamento de refugiados da Grécia, onde se amontoavam. Principal entrada de migrantes na Grécia fora da vizinha Turquia, a ilha de Lesbos, no Mar Egeu, - com uma população de cerca de 85.000 habitantes - mergulhou em uma crise sem precedentes. O serviço grego de Proteção Civil declarou "estado de emergência" no local.

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, expressou sua "tristeza pelos incidentes" e sugeriu que o desastre pode ter ocorrido, devido às "reações violentas contra os controles de saúde", após a detecção de 35 casos de Covid-19 no acampamento.

Segundo a agência de notícias grega ANA, que cita fontes anônimas, vários incêndios foram provocados na madrugada por imigrantes que se rebelaram contra as medidas de isolamento pelo novo coronavírus. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, declarou "profunda tristeza" e "disposição da União Europeia de ajudar".

Milhares de homens, mulheres e crianças saíram das barracas e dos contêineres na madrugada. Alguns se refugiaram nos campos de oliveiras ao redor.