Rio Preto terá galpão de compostagem

Obra

Rio Preto terá galpão de compostagem


Projeto mostra como ficará o galpão de compostagem
Projeto mostra como ficará o galpão de compostagem - Divulgação

A partir de setembro deste ano, Rio Preto vai contar com um centro de compostagem de alimentos e de vegetação para transformação em adubo orgânico. O galpão será construído em uma área de 112 metros quadrados ao lado da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), dentro do Centro de Produção e Transferência de Tecnologia Agropecuária.

O prefeito, Edinho Araújo, assinou nesta terça-feira, 23, a ordem de serviço para construção do galpão. A obra tem custo total de R$ 246.692,81. Ela é financiada pelo Fundo de Desenvolvimento Agropecuário, que é abastecido por receitas da locação do Recinto de Exposições Alberto Bertelli Lucato, da prestação de serviços da Patrulha Agrícola e das taxas de permissão de uso do Mercado Municipal.

Por concorrência pública, foi escolhida a empresa Madri Iski - Construções Eireli, para fazer a construção do barracão. A obra contará com tecnologia colombiana numa estrutura de 500 metros quadrados, que terá capacidade para produzir até seis toneladas de adubo por semana.

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, com apoio do Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (Semae), será responsável pela operação do galpão. A Secretaria de Serviços Gerais vai fornecer a matéria-prima vinda das podas de árvores e restos de alimentos a serem processados.

O Centro de Produção e Transferência de Tecnologia Agropecuária faz parte do Programa Alimenta Rio Preto, com meta de produção de cinco toneladas de hortifrútis por semana como abobrinha, almeirão, berinjela, beterraba, brócolis, cenoura, couve, milho verde, pepino, repolho, rúcula e vagem.

O centro terá objetivo de suprir 25% da demanda atual do Banco Municipal de Alimentos e ser referencial em transferência de tecnologia agrícola para pequenos produtores rurais da região.