Amazônia

Cartas do leitor

Amazônia


Para quem não tem conhecimento de geografia, a Amazônia é uma floresta úmida que, sem interferência, não queima espontaneamente; diferentemente de ecossistemas que queimam de tempos em tempos, tais como os outbacks australianos, as florestas costeiras da Califórnia, as savanas da África e o cerrado brasileiro. Quem deveria ter conhecimento pleno sobre os nossos biomas e defendê-los a "ferro e fogo" seria o ministro do meio ambiente Ricardo Salles e o chefe do Conselho da Amazônia Hamilton Mourão. No entanto, ambos compartilharam um vídeo que afirma que a Amazônia não tem problemas de queimadas e ainda ilustra o tema sugerindo a Amazônia como habitat natural de um mico-leão-dourado - mamífero em extinção que vive exclusivamente na Mata Atlântica. É inacreditável que um ministro do meio ambiente e o chefe do conselho da Amazônia não conheçam os biomas brasileiros.

A Amazônia é muito grande e só com ações técnicas será possível combater o desmatamento; logo as queimadas. Mas, em um governo em que ministros precisam mentir em seus currículos para ter credibilidade é mais fácil e prático "passar a boiada". Assim como é mais fácil demagogicamente "pedir" para os donos dos mercados serem patriotas e não promoverem o aumento do preço do arroz. Por isso a minha vontade é de dizer ao Ministro do Meio ambiente que ainda dá tempo de aprender com os "idiotas úteis" da Universidade para que não venha cometer outro mico, porque esse já viralizou!

Priscila Delabona, Rio Preto

Política

Todos falam que as mulheres precisam ocupar seu espaço nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Todo mundo concorda com isto, menos nós, mulheres, que ainda não aprendemos a votar em nós mesmas. Já que existe este negócio de cota mínima para nos candidatarmos, deveríamos ter, pelo menos, cota garantida no número de cadeiras no senado e Câmara Federal, assembleias legislativas; câmaras municipais e ir além, termos também no poder Judiciário. Sim! Deveríamos ocupar, pelo menos, 1/3 destes cargos. Mas ocupar de fato.

Já que podemos ser candidatas, ter garantidas 1/3 das vagas, mas ainda não temos 1/3 do recurso de campanha. Não temos, de fato, investimentos em nossas campanhas. Muitas de nós assinam documentos para os partidos, onde a maioria das executivas é composta por homens e, nem sequer acompanhamos os verdadeiros investimentos nestas campanhas.

Dizem que temos direito a 33% dos recursos, mas nunca enxergamos estes investimentos. Vamos imaginar este empoderamento verdadeiro. Como? Se uma Câmara Municipal no interior tem nove vagas, três deveriam, de fato ser de mulheres. Se for 11, quatro. 13, cinco. 17, oito cadeiras. E, assim, sucessivamente. Tem como. Basta os congressistas (Câmara e Senado) aprovarem esta mudança real de direito na Lei Eleitoral. Nós saberíamos como fazer valer este direito. Teríamos vozes reais nos poderes legislativos (município, estado e federação). A sensibilidade feminina ajudaria o Brasil a sair deste ostracismo em que se encontra. O Congresso Nacional empurra projetos essenciais para a nação, para o povo. Os presidentes destas Casas de Leis votam a bel prazer, aos interesses pessoais ou de certos grupos partidários. Para o povo, pelo povo e com o povo fica apenas no papel de cada partido. Acredito, e tenho certeza de que, com mais mulheres nestes locais, nosso País estaria bem mais avançado do que está na atualidade

Luciana Archete, Rio Preto

Religião

("Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o principio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade" - João 8:44). Jesus Cristo, explicando a sua autoridade, foi questionado pelos judeus dizendo "nós temos por pai Abraão". Então Jesus lhes disse: se vosso pai fosse Abraão, "fariam as obras de Abraão", ou seja, Jesus Cristo estava dizendo: aja como Abraão que creu em Deus.

Quando estamos no erro, tentamos sempre nos justificar, mas Jesus Cristo conhece as nossas falhas e erros, é por isso que ninguém é salvo por obras, mas por acreditar, confessar e saber que Jesus Cristo é o caminho. Muitas religiões hoje creem em tantas coisas e não confessam Jesus Cristo como senhor e salvador, sabemos até de religiões que dizem crer em Deus, ou Jeová, como dizem os judeus, mas o próprio Jesus Cristo já falou destes acima e muitos ainda hoje não creem. Jesus Cristo é o senhor e fora dele não há verdade. Por isso, nesta manhã, creia Nele e deixem de praticar e amar a mentira, parem de justificar o motivo pelo qual deixam de fazer isso ou aquilo na obra de Deus, pois Jesus Cristo conhece a verdadeira razão da sua incredulidade e diante Dele não prevalece a mentira.

Junior Donisete, Rio Preto

Aulas

A pandemia virou pandemônio! Ninguém sabe o quê, como, quando tomar decisões sobre muitos aspectos. Mas, como educadora, o que nos preocupa muito é em relação a Educação. O que um País mais deve ter como meta suprema é elevar e globalizar uma educação de qualidade, que não nos envergonhe mais perante o mundo.

E outro fator desolador é ver a enorme diferença entre o público e o privado, desde as condições estruturais, como também, pela preocupação dos gestores em elevar o nível sócio-econômico de uma família através da Educação. Mas, mais uma vez estamos vendo a cruel desigualdade de oportunidades que estão tendo estes diferentes tipos de clientelas. Muitos alunos de escolas de bairros mais carentes, não tem acesso à Internet e os pais também não estão preparados para isso. E como poderia seguir adiante com as mazelas que está período está produzindo? Que alunos queremos ter no futuro? Eles serão o futuro do nosso País. A defasagem série-idade leva à evasão, e será que é isso que queremos?

Neste período do não funcionamento, as escolas foram preparadas, pintadas, carteiras limpas, cortinas ou ficaram fechadas, decaindo mais ainda? Todos os alunos deveriam retornar no próximo ano na série que iniciaram em 2020 para tornarem-se bons alunos. Do contrário arrastarão e aumentarão os problemas e deficiências.

Temos um trabalho de apoio pedagógico e psicológico para as crianças no Instituto Alarme há 5 anos e sabemos bem a consequência de tudo isso. Que as autoridades competentes analisem bem e tomem as decisões mais adequadas para as nossas crianças, que são nosso futuro!

Sandra Mussi, Rio Preto