Bíblia

Cartas do leitor

Bíblia


Todos os anos, o Mês da Bíblia nos oferece para estudo, reflexão e oração um livro ou uma importante passagem bíblica. Neste ano, é o livro do Deuteronômio que nos é ofertado. Em linhas gerais, o Deuteronômio é o resultado de um movimento renovador denominado Deuteronomista. Esse movimento atravessou séculos e procura interpretar aquilo que acontece com o povo à luz da vontade de Deus, é o que poderíamos chamar de ler e compreender os "sinais dos tempos".

Para que o Deuteronômio foi escrito? Observando sua forma final, aquela que está em nossas bíblias, podemos afirmar que são dois os objetivos: o primeiro é fazer com que o povo observe (obedeça) melhor a Lei de Deus, uma lei que promove e preserva a vida, acima de tudo! Para tanto, leia Dt 30,19-20. O segundo objetivo, esse mais ligado às tradições das cortes monárquicas se Israel e Judá, é fazer um apelo para que o povo se converta ao Deus oficial, o Deus único e poderoso, bem como, à sua lei do puro e do impuro e à unidade do povo eleito, Israel. Para nós, hoje, é mais importante, obviamente, o primeiro objetivo.

O que o Dt nos diz de mais importante? Mergulhando nos textos do livro ficamos fascinados com a quantidade de leis, normas, decretos etc. Porém, não se engane! Esse é um livro no qual as leis brotam da vida! As leis comparecem para preservar aspectos fundamentais da vida do povo. É claro que há, também, algumas leis estranhas: leis desumanizadoras (Dt 20,10-14); leis de centralização a serviço do poder e do lucro (Dt 12,2-7) e a lei do Deus violento e castigador (Dt 13,7-12). Nada disso deve nos escandalizar ou assustar, pois é fruto da mentalidade de certas épocas da história do Povo de Deus. O que predomina no livro, e que mais nos interessa, é aquilo que frei Carlos Mesters e Francisco Orofino muito bem definiram como os sete temas ou as sete janelas pelas quais podemos ler o Dt: a) "O amor de Deus é a chave para interpretar os fatos da história. Foi por amor que Deus tirou o povo do Egito" (Dt 7,7-8); b) "Sem memória, o povo perde a sua identidade e o rumo da sua missão" (Dt 6,20-21); c) "Pelo seu jeito de servir, o povo revela o rosto de Deus... Nosso privilégio é poder servir os outros" (Dt 15,11); d) "Viver em estado permanente de êxodo, 'saída'" (Dt 24,18); e) "A vida do povo deve ser um sinal da presença de Deus... Quando todos observam os Mandamentos de Deus, não surge pobre" (Dt 15,4); f) "O verdadeiro Deus é aquele que libertou o seu povo da escravidão do Egito e lhe garantiu a vida", isso jamais pode ser esquecido (Dt 5,6-8); g) há um compromisso mútuo entre Deus e o povo, o livro do Dt é o livro da Aliança, uma aliança feita hoje, sempre atual e renovada (Dt 5,2-3).

Agora, é abrir o livro do Dt e iniciarmos nossa leitura!

Pe. Dr. Telmo José Amaral de Figueiredo - Paróquia São Benedito, Urânia, Diocese de Jales

Esclarecimento

Quanto à resposta do leitor Salvatore D'Onofrio neste espaço, em 10/09, referi-me nominalmente ao mesmo somente por um comentário dele sobre vacina. No contexto a essência era imprensa e políticos. Sentiu-se ofendido mas, não foi essa a intenção.

Sr. Salvatore, esse lenga-lenga do politicamente correto é a causa das indecência e hipocrisia que regem o "fazendão" (Brasil segundo o jornalista Cláudio Lessa). Parte da imprensa é canalha sim e a Folha (tem quem goste), é um dos baluartes da canalhice que destrata sistematicamente o atual governo.

Quanto à pecha de puxa-saco, se sê-lo importa em apoiar Bolsonaro e vislumbrar no seu governo uma verdadeira oportunidade de pôr o Brasil nos trilhos, não me atinge de forma alguma. Embora meu detrator pudesse ter utilizado por exemplo apoiador, o que ilustraria melhor sua polidez verbal e seu "politicamente correto".

Wéliton de Oliveira, Rio Preto

Flexibilização

Mais uma vez as atitudes irresponsáveis dos maus políticos entram em cena. Mesmo com o vírus circulando à vontade entre nós, aproveitando-se do momento que o povo recebe os seus salários e diante de um final de semana prolongado, é feita a liberação geral!

Não que o comércio não esteja precisando. A impressão que dá, é que realmente os maus governantes querem mesmo causar o caos no país, claramente para culpar o presidente, ainda sendo criticado por coisas tão insignificantes que alguns poucos elementos que insistem em criticá-lo, sempre usando as mesmas coisas, tais como: ele falou que é uma gripezinha, ninguém é obrigado a tomar a vacina, etc. Digo insignificantes se comparados aos desvios de tanto dinheiro público ao longo de tantos anos.

Só nos resta, a esperança que o povo tenha a devida consciência de se cuidar, se protegendo da melhor maneira possível usando a máscara, mantendo o distanciamento social e evitando as aglomerações e que Deus nos proteja. Aproveitando, gostaria de convocar todo brasileiro que ama este país, num ato de resgatar o amor pelo Brasil e contra os maus políticos, que peguem suas bandeiras verde e amarelo e coloquem na frente de suas casas, no carro... num ato de patriotismo, já que estamos na semana da pátria; assim como fazem os americanos.

Jairo Pereira da Silva, Rio Preto

Covid

Nossa, eu juro que não dou mais conta desse povo que ainda está duvidando das mortes por este vírus. Só mesmo quando alguém da família falecer é que vão acreditar, porque pesquisar, vemos que não pesquisam. Não sabem que a Covid está deixando várias sequelas, trombose, AVC, problemas cardíacos, renais, enfim, vão pesquisar e depois vêm aqui para escrever algo útil ou então fazer orações pelas almas e famílias que perderam entes queridos. Muito mais proveitoso.

Vanessa Cristine - via Facebook, Rio Preto

Covid-2

Estou aqui internada me tratando do covid, doença séria e que judia demais, se cuidem, essa doença causam varias outras doenças no nosso organismo.

Luana Casado - via Facebook, Bálsamo