Rio-pretenses buscam no campo o refúgio para passar os fins de semana

REFÚGIO RURAL

Rio-pretenses buscam no campo o refúgio para passar os fins de semana

Chácaras são as queridinhas de quem procura um segundo imóvel para passar os finais de semana longe da correria dos centros urbanos


Contato com a natureza e ar puro: lugar ideal para relaxar
Contato com a natureza e ar puro: lugar ideal para relaxar - Fran Hogan/Unsplash

O estilo de vida agitado das grandes cidades pode significar menos qualidade de vida para algumas pessoas, que buscam no campo o refúgio para passar os fins de semana, feriados ou férias. A procura por imóveis rurais para morar também é uma tendência em Rio Preto, segundo profissionais do ramo, que citam um aumento da busca nos últimos meses.

O corretor de imóveis, João Garcia Martins Neto, da Imobiliária Vértice, afirma que é comum a procura por fazendas e, principalmente, por chácaras. "As fazendas são vistas como uma empresa, focando em gerar renda para quem investe. No caso das chácaras, quem busca esse estilo de imóvel está procurando um local com espaço, com lazer", explica.

Neto acrescenta que há uma preferência pelas chácaras quando se trata de compra para moradia. "O principal é o espaço. Algumas pessoas vão para as chácaras porque querem um contato com a natureza, ter uma pequena horta, árvores frutíferas e também para ter um espaço de lazer familiar para realizar um churrasco no fim de semana com a família, em um local maior, com piscina", conta.

O corretor de imóveis Lucas Nadruz, da GIS Gestão Imobiliária Segura, afirma que a tentativa de sair dos grandes centros tem criado uma tendência de negócios imobiliários. "A casa de campo é um sonho de consumo de muita gente. Ter um local para descansar nos fins de semana, poder respirar ar puro e reunir a família cercada pela natureza fazem com que, depois de adquirir a primeira moradia, a compra desse refúgio seja umas das prioridades", afirma.

Neto explica que, para quem escolhe o imóvel no campo, é necessário saber se programar todos os dias e, caso a pessoa já tenha morado em áreas urbanas, pode acabar sentindo falta de certos serviços, principalmente os de entrega. "São poucas as empresas que trabalham com entregas em locais tão longe, serviços como os de farmácia e comida talvez façam falta para algumas pessoas, por isso é necessário pensar bem nos prós e contras de imóveis afastados", afirma.

Lucas diz ainda que é preciso estar seguro da decisão de compra antes de fechar negócio. "É indispensável observar cada detalhe de forma que seja possível se sentir em casa, mesmo antes de trazer toda a sua mudança. Nessas horas, não basta pensar apenas no preço, tente pensar em como você se vê em cinco ou dez anos. Se nos seus planos um imóvel como esses seguirá atendendo às suas necessidades, então é sinal de que você está no caminho certo", conclui.

(Colaborou Yasmin Lisboa)