'Foi o que sobrou pra mim', diz Valdomiro

COLUNA DO DIÁRIO

'Foi o que sobrou pra mim', diz Valdomiro

Ex-prefeito de Rio Preto ficou fora de disputa pela Prefeitura, mas diz que terá espaço para rebater críticas ao seu governo


Valdomiro Lopes durante entrevista ao Diário
Valdomiro Lopes durante entrevista ao Diário - Rodrigo Lima 12/12/2019

A aliados, o ex-prefeito de Rio Preto, Valdomiro Lopes (PSB), afirmou o seguinte nesta quarta-feira, 16, para justificar o apoio ao candidato a prefeito do PSL, Marco Casale: "Foi o que sobrou pra mim". Valdomiro avalia que o seu apoio vai garantir ainda um espaço, principalmente no horário eleitoral gratuito, para rebater possíveis críticas ao seu governo — entre os anos de 2009 e 2016.

No meio político é quase consenso que, ao lado do PSDB local, o ex-prefeito saiu derrotado nas articulações políticas e convenções partidárias que terminaram nesta quarta-feira. Tucanos e o ex-prefeito ensaiaram até uma ampla frente contra a reeleição do prefeito Edinho Araújo (MDB), mas não conseguiram convencer aliados para a empreitada.

Valdomiro acabou isolado, mesmo após todas as viagens que fez até Brasília e São Paulo para tentar viabilizar o seu nome. Ele, no entanto, assistiu de camarote quadros deixarem o PSB, como o seu ex-chefe de gabinete Alex Carvalho. O partido do ex-prefeito não formou chapa de vereador para disputar a eleição de novembro.

O ex-prefeito era considerado um dos principais adversários de Edinho na eleição deste ano. Em busca de sobrevida política, Valdomiro espera o resultado da eleição em outras cidades para garantir uma cadeira na Câmara Federal, já que é suplente de deputado federal. Valdomiro foi procurado, mas não atendeu ligações feitas em seu celular.

Já os tucanos em Rio Preto tiveram de seguir determinação do governador João Doria (PSDB) e do presidente estadual da legenda, Marco Vinholi, para apoiar Edinho. Eles tiveram dois pré-candidatos a prefeito: Renato Pupo e o empresário Denilson Marzocchi. A aposta da legenda passou a ser eleger representantes na Câmara de Rio Preto.

Nome da direita - Três candidatos à Prefeitura de Rio Preto — coronel Helena Reis (Republicanos), Marco Casale (PSL) e Paulo Bassan (PRTB) — devem disputar o apoio do presidente Jair Bolsonaro, que já adiantou que não deve se envolver na disputa eleitoral deste ano. A expectativa é de que ele declare apoio, por exemplo, apenas na Capital. Bassan afirmou à Coluna que já possui o apoio do partidário e vice-presidente general Hamilton Mourão.

Marcado - Na mesma semana que o ex-prefeito de Rio Preto Valdomiro Lopes (PSB) tentou viabilizar candidatura de toda forma e terminou apoiando Marco Casale (PSL), o Superior Tribunal de Justiça marcou para dia 22 o julgamento de recurso em ação sobre criação de cargos em comissão considerados irregulares. Valdomiro e ex-vereadores foram condenados por improbidade administrativa e a pagamento de R$ 3,5 milhões em multas e ressarcimento.

 

Johnny Torres 12/9/2020

Itamar no jogo

O deputado estadual Itamar Borges (MDB) também participou da articulação em São Paulo para aumentar o leque de apoiadores do candidato à reeleição em Rio Preto, prefeito Edinho Araújo (MDB). Itamar (foto) conversou com o presidente estadual do Cidadania, Arnaldo Jardim, para pedir apoio ao emedebista. Em seguida, o presidente local do Cidadania, Henrique Dias, recebeu aval para fechar o apoio na cidade.

Diploma

O vereador José Lagoeiro (Patriota) protocolou projeto de lei que obriga a Prefeitura de Rio Preto a nomear apenas pessoas com curso superior em Educação Física na Secretaria de Esportes. O projeto atinge somente os cargos de livre nomeação. Além do diploma, os profissionais precisam ter dois anos de experiência prévia.

Só uma

O PCO definiu em convenção no último domingo, 13, que terá uma candidata a vereadora em Rio Preto, a professora de ensino médio Rosi Petini.