Servidores de Rio Preto devolvem auxílio-emergencial

COLUNA DO DIÁRIO

Servidores de Rio Preto devolvem auxílio-emergencial

Prefeitura de Rio Preto apura benefícios a funcionários que receberam salários normalmente na pandemia


Secretário de Administração, Luís Roberto Thiesi, disse que vai analisar cada caso
Secretário de Administração, Luís Roberto Thiesi, disse que vai analisar cada caso - Divulgação/Prefeitura Rio Preto

Funcionários da Prefeitura de Rio Preto que entraram em lista de pagamentos supostamente irregulares de auxílio-emergencial apresentaram justificativas ao município e comprovação de devolução de valores recebidos. O auxílio mensal é de R$ 600. A relação, com 16 servidores, foi encaminhada ao secretário de Administração, Luís Roberto Thiesi, em alerta emitido pela Controladoria-Geral da União (CGU) e TCE (Tribunal de Contas do Estado). O Diário revelou a apuração no dia 18. A Prefeitura notificou os servidores diante da possível irregularidade. Os funcionários da Prefeitura receberam salários mesmo durante a pandemia e, ao menos na teoria, não teriam direito ao pagamento. Na lista estavam servidores como agentes administrativos e até professores.

De acordo com o secretário, 11 funcionários comprovaram a devolução do benefício. Em outros casos, servidores afirmaram que nem sabiam que estavam na lista de beneficiados uma vez tinham inscrição em cadastro único do governo federal. Um dos servidores relacionados no documento encaminhado por órgãos de fiscalização não foi localizado para apresentar justificativas. O secretário disse que irá analisar caso a caso para avaliar situação. A comprovação da devolução pode atenuar eventual penalidade administrativa. "A pessoa que recebeu o dinheiro e utilizou mesmo sabendo que não teria direito ao auxílio vamos abrir processo administrativo. Será avaliado caso a caso", afirmou o secretário.

Ofensiva - O ex-prefeito de Rio Preto Valdomiro Lopes (PSB) resolveu de fato entrar no páreo da corrida eleitoral em Rio Preto. Segundo aliados mais próximos, Valdomiro teria ficado animado ao ver pesquisas de partidos com possibilidade de ir ao segundo turno. Teria mantido tratativas até com o PSDB, mas desde que Renato Pupo, sabidamente tido como seu rival político, abra mão da candidatura a prefeito. O partido afirma que Pupo é o pré-candidato tucano.

Intima - A postura do secretário de Obras de Rio Preto, Sérgio Issas, tem incomodado a comissão da Câmara de Rio Preto que investiga gastos com reforma em calçadas. A CPI recebeu pacote de respostas da prefeitura de contratos, seja com licitação ou sem, firmados com a empresa SMS Serviços. No entanto, o presidente da comissão, Marco Rillo, diz que o pedidos encaminhados ao secretário demoram para ser respondidos. Ele disse que pretende convocar o secretário.

Divulgação

Coordena

A direção do PT de Rio Preto divulgou nesta quarta-feira, 29, que Celso Barreiro, professor da rede pública de ensino, será coordenador do plano de governo da pré-candidata a prefeita do partido, a ex-vereadora Celi Regina. A sigla afirma que irá desenvolver "ferramentas que garantam a participação do povo de acordo com normas de segurança e saúde pública".

Recurso

O vereador Fábio Marcondes (PL) recorre no Superior Tribunal de Justiça contra decisão do órgão que manteve determinação de indenizar Carlos Arnaldo, pré-candidato a prefeito de Rio Preto. A indenização de R$ 23 mil é por ameaças que Arnaldo afirma ter recebido quando era secretário na gestão de Valdomiro Lopes.

Adia

A Prefeitura de Rio Preto adiou para 28 de agosto licitação de reforma no teatro municipal. O edital foi readequado.