Rumo detalha hoje contorno de R$ 500 mi

COLUNA DO DIÁRIO

Rumo detalha hoje contorno de R$ 500 mi

Contorno terá cerca de 50 quilômetros de extensão e vai desviar trilhos ainda de Cedral e Mirassol


Composição cruza passagem de nível no distrito de Engenheiro Schmitt, no trecho urbano da cidade
Composição cruza passagem de nível no distrito de Engenheiro Schmitt, no trecho urbano da cidade - Johnny Torres 30/7/2019

A tão esperada obra do contorno ferroviário em Rio Preto terá seu cronograma detalhado nesta sexta-feira, 18. O diretor institucional da Rumo Logística, Guilherme Penin, e o prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), irão falar sobre a obra em entrevista virtual marcada para a manhã desta sexta. O contorno da chamada "variante Mirassol, Rio Preto e Cedral" tem custos estimados em cerca de R$ 500 milhões.

A obra ficará a cargo da Rumo, conforme estabelecido em regras que permitiram a renovação antecipada da concessão da Malha Paulista. O contrato foi assinado com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), braço do Ministério da Infraestrutura. A previsão é de que a obra demore três anos para ser concluída. Segundo a coluna apurou, a concessionária já faz tratativas para desapropriações de áreas, assim como os governos federal e municipal.

O estudo do contorno prevê ainda a construção de 17 obras de arte especiais ao longo do trajeto do contorno entre Mirassol e Cedral. São viadutos e uma ponte ferroviária distribuídos ao longo da ferrovia em cruzamentos com as rodovias BR-153 e Washington Luís e com estradas vicinais, como a localizada entre Bady Bassitt e Nova Aliança.

A cobrança de autoridades sobre o contorno aumentou depois da tragédia do Jardim Conceição, em 24 de novembro de 2013. No acidente, com a então concessionária ALL, houve descarrilamento que invadiu casas e resultou na morte de oito pessoas.

HB segura - A estrutura do Hospital de Base é que tem mantido Rio Preto na fase atual de liberação do comércio, de acordo com técnicos e equipes da Prefeitura. O hospital conta hoje com 117 leitos de UTI específicos para Covid-19, com capacidade de ampliação. A taxa de ocupação é um dos fatores que o Estado leva em conta para liberar a reabertura. Nos outros pontos analisados, como evolução de registros e de mortes, Rio Preto registra alta e chegou a 1,5 mil casos nesta quinta-feira, 18.

BR em pauta - O ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, irá participar nesta sexta, de entrevista coletiva virtual. Entre os temas a serem abordados está a duplicação dos 17,8 quilômetros do trecho urbano da BR-153, em Rio Preto. A obra começou em 2016 e já acumulou atrasos, inclusive, recentes. No início do mês, o governo anunciou que 75% da obra estão prontos. O Orçamento da União prevê R$ 40 milhões para a duplicação neste ano.

Divulgação/Prefeitura

Dança de cadeiras

O governo federal alterou quadros do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Roberto Ravagnani deixou o comando do órgão em São Paulo e atua agora em Taubaté. A superintendência, em São Paulo, agora está com Sérgio Henrique Codelo, tenente-coronel do 8° Batalhão de Engenharia de Construção, com sede no Pará. Ele está no cargo desde maio.

Sem chance

Na reunião de quarta-feira, 17, entre o prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB) e Marco Vinholi (Desenvolvimento Regional), a reabertura de academias sequer foi debatida. Os locais só podem abrir se Rio Preto avançar de fase no plano estadual.

Emenda

Edinho recebeu representantes da Caixa nesta quinta-feira, 18, e assinou convênio para liberação de R$ 280 mil para recape. O recurso vem de emenda do deputado Baleia Rossi (MDB).