COLUNA DO DIÁRIO

Vereadora cobra participação em plano

Márcia Caldas, que preside sindicato, queria opinar sobre proposta de retomada da economia em Rio Preto


Foto histórica da visita a Santa Fé do Sul do ex-governador Laudo Natel, que morreu aos 99 anos nesta segunda-feira, 18, ao lado do atual prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB).
Foto histórica da visita a Santa Fé do Sul do ex-governador Laudo Natel, que morreu aos 99 anos nesta segunda-feira, 18, ao lado do atual prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB). "Foi governador de São Paulo e um político atuante e presente na nossa região. Tive o prazer de recebê-lo em 1972 em Santa Fé do Sul", afirmou Edinho - Acervo pessoal

A vereadora Márcia Caldas (PSD) enviou ofício nesta segunda-feira, 18, ao prefeito Edinho Araújo (MDB) em que questiona a escolha do secretário de Desenvolvimento Econômico, Jorge Luís de Souza, para elaborar o plano regional a ser colocado em prática após o período da pandemia do coronavírus. Márcia, que é presidente do Sindicato dos Empregados do Comércio em Rio Preto (Sincomerciários), questionou a liderança de Souza "no processo de consulta à comunidade para levantamento de posições para a flexibilização (do comércio), da cidade, e, também de microrregião".

"Nada pessoal contra o secretário, pelo contrário, é um cidadão acima de qualquer suspeita. O que me preocupa, prefeito, é que ele é líder empresarial, integra ou integrava a diretoria da Acirp, instituição que, dia sim, outro também, sustenta a hipótese do 'horário livre' do comércio que os trabalhadores, representados por esta entidade", afirmou a vereadora ao dizer que abomina de forma veemente a proposta do "horário livre" para o comércio.

Márcia pediu para participar da elaboração das medidas, como ocorreu com a Acirp, que contou com representantes na reunião com prefeitos da região. Ela defendeu a flexibilização do comércio para que

as pessoas possam trabalhar, comprar e vender. "Com absoluto respeito às normas sanitárias oficiais previstos pela pandemia, minimizando uma situação que já está catastrófica.

A vereadora havia reivindicado a oportunidade de apresentar propostas antes do seu envio ao governador João Doria (PSDB). Não foi atendida.

 

Ainda suplente - O meio político em Rio Preto efervesceu nesta segunda-feira, 18, com informação de que o ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB) poderia assumir a cadeira na Câmara dos Deputados após a morte do deputado federal Luiz Lauro Filho (PSB), 41 anos, da região de Campinas, que morreu de infarto. Quem deve assumir a cadeira é Ricardo Silva, da região de Ribeirão Preto. "Neste momento só tenho a lamentar a morte do Luiz (Lauro Filho)", disse Valdomiro em nota da assessoria.

Recurso - O prefeito de Votuporanga, João Dado (PSD), anunciou que vai recorrer de decisão do TJ-SP contra liminar que sustou efeitos de decretos municipais que permitiam o funcionamento de algumas atividades consideradas não essenciais. Dado afirmou que está "triste" com a decisão do Tribunal. Ele disse ainda que o país vive em uma "ditadura" durante o período da pandemia da Covid-19. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), decretou quarentena até o dia 31 de maio.

Johnny Torres

Caso de polícia

A Polícia Civil vai investigar quatro disparos de tiros contra a residência do vereador Anderson Branco (PL), na madrugada de domingo, 17. Branco afirmou sofrer perseguição depois que foi à Capital visitar o cemitério da Vila Formosa e hospitais de campanha. Chegou a dizer que sofreu "atentado político" e que começou "ser perseguido por alguns vereadores", mas voltou atrás e disse não estar acusando ninguém. O presidente da Câmara, Paulo Pauléra (PP), falou que é um assunto particular de Branco e que não tomará medidas e avalia "exagero" de colega.

Guapiaçu

Os cinco vereadores de Guapiaçu que propuseram a abertura de CPI para apurar a denúncia de recebimento de propina de R$ 400 mil por parte do prefeito Carlos Cesar Zaitune (MDB) na concessão de terreno a uma madeireira, não têm muita esperança que ela seja instaurada na sessão ordinária desta terça-feira, 19, pelo presidente da Casa, o vereador Junior Pereira Cardoso (PSDB). Diante do parecer jurídico, Cardoso deve arquivar o pedido. O grupo, porém, promete ir à Justiça para levar adiante a CPI.