SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
APÓS ATENTADO

ONG internacional envia ajuda financeira a jornal de Olímpia

O recurso foi enviado ao jornalista e editor responsável, José Antônio Arantes, após atentado contra a redação

Francela Pinheiro
Publicado em 17/05/2021 às 23:36Atualizado em 05/06/2021 às 23:48
Jornalista José Antônio Arantes em conferência com as ONGs (Folha da Região)

Jornalista José Antônio Arantes em conferência com as ONGs (Folha da Região)

O jornal Folha da Região, de Olímpia, recebeu 650 euros, R$ 3,8 mil convertidos na moeda nacional, da ONG internacional Repórteres Sem Fronteiras, como ajuda financeira para instalação de sistema de câmeras de monitoramento no prédio da empresa. O recurso foi enviado ao jornalista e editor responsável, José Antônio Arantes, após atentado contra a redação. Um bombeiro civil aposentado é investigado como o autor do crime.

De acordo com informações do jornal, o contato da ONG com a redação de Olímpia foi feito por meio do jornalista Artur Romeu, do escritório da RSF para a América Latina, no Rio de Janeiro. "Romeu vem acompanhando o caso, em contato permanente com o editor da Folha desde então, e se colocou à disposição", informou.

De acordo com Arantes, o recurso foi viabilizado por jornalistas franceses. O sistema de monitoramento é uma forma de manter a segurança do jornalista e da família, a qual reside na parte superior do prédio, onde ficam as instalações da redação.

Outra ONG internacional, a Artigo 19, responsável por monitorar casos de violência contra jornalistas e comunicadores no Brasil, também acompanha as apurações do caso. O Comitê para Proteção de Jornalistas (CPJ), com sede nos Estados Unidos, é outro órgão internacional que monitora as apurações.

As três entidades compõem uma comissão para acompanhar o atentado em Olímpia, ao lado da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e do Sindicato dos Jornalistas em São Paulo. Eles se reuniram com o promotor Rodrigo Pereira dos Reis, responsável por pedido de quebra de sigilo do suspeito, que ainda depende de decisão judicial.

"A atitude dos colegas faz a gente sentir que não está sozinho e faz a gente seguir em frente com o jornalismo que a gente acredita que seja o certo e um dos pilares da democracia", afirmou Arantes.

O caso

O atentado à Folha da Região, localizada na região central de Olímpia, ocorreu na madrugada do dia 17 de março, quando um homem em uma moto parou em frente ao prédio, deixou um galão de combustível e ateou fogo. Com os latidos dos cães, a família acordou e conteve as chamas do incêndio. A fumaça chegou a atingir o quarto da neta de Arantes, que fica no piso superior do prédio.

A Polícia Civil do município investiga o caso e aguarda decisão da Justiça para acessar as informações sigilosas de movimentações financeiras, conversas em redes sociais e ligações telefônicas. O promotor também pede que a Justiça determine que o suspeito permaneça em casa durante a noite. Até o fechamento desta edição não havia decisão sobre o pedido apresentado à Justiça.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por