Três candidatos concentram 90% de doações em Rio Preto

EM RIO PRETO

Três candidatos concentram 90% de doações em Rio Preto

Três prefeituráveis de Rio Preto concentram mais de 90% das doações na corrida eleitoral; coronel Helena, Edinho e Carlos Arnaldo recebem maiores doações em duas semanas de campanha


Eleições 2020 Diário da Região
Eleições 2020 Diário da Região - Reprodução

A corrida eleitoral para prefeito de Rio Preto teve movimentação financeira de campanhas turbinada por doações de partidos, via fundo eleitoral. Apenas três candidatos concentram 91% do total de doações, que podem ser consultadas no sistema de divulgação de candidaturas do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No total, as doações aos candidatos a prefeito somam R$ 1,69 milhão até esta segunda, 12. Partidos injetaram R$ 1,55 milhão em três candidaturas.

A campanha da Coronel Helena, candidata a prefeita pelo Republicanos, recebeu R$ 750 mil da direção nacional do partido. A campanha da candidata registrou despesas de R$ R$21.066,00, sendo maioria para custo de material impresso. A direção da sigla em Rio Peto afirma que o perfil de prioridade do partido. "É uma candidata mulher, que tem prioridade no partido, forte e competitiva", disse o presidente do Republicanos Diego Polachini. A maioria dos gastos vai para produção de programas de televisão, rádio, material de redes socais e equipe de campanha.

A campanha de Edinho Araújo (MDB), que tenta a reeleição, tem o segundo maior volume de doações. A campanha recebeu R$405.005,00 até esta segunda, 12. O candidato doou para sua campanha R$ 5 mil. A campanha de Edinho teve doação de R$ 400 mil da direção nacional do Patriota, partido que tem como presidente Ulisses Ramalho, que é secretário de Serviços Gerais. A candidatura do atual prefeito registrou despesas de R$ 34 mil, na divulgação da campanha. "As doações estão previstas na lei eleitoral", afirmou a coligação de Edinho.

Já a campanha de Carlos Arnaldo (PDT) registrava até esta segunda doações de R$401.550,00. Desse total, R$ 400 mil foram injetados na campanha, via transferência eletrônica da direção nacional do PDT. O candidato registrou até este sábado despesas de R$ 18.225,65 para publicidade, o que inclui os "santinhos". "Esse recurso é para fazer a campanha eleitoral. Para pagar produtora de programas de televisão, panfletos, para isso", disse. Carlos Arnaldo afirma que os programas eleitorais, que inclui despesas com produção e divulgação em redes sociais concentram as maiores despesas.

Quarto candidato com maior recurso de campanha, Filipe Marchesoni (Novo) conta com R$ 96 mil em doações. O Partido abriu mão do uso do fundo eleitoral e os recursos para campanha são de doações de pessoas físicas. Até este sábado, o candidato registrou despesas de R$ 150,8 mil.

Na sequência vem a candidatura de Celi Regina (PT) recebeu doações de R$ 32 mil. A direção do partido repassou R$ 30 mil. A campanha não tinha gastos registrados.

Marco Rillo (Psol) tem doações de R$ 7 mil, que vieram de pessoas físicas, enquanto registrou R$2.624,90 em despesas.

Candidato a prefeito Rogério Vinícius (DC) contabilizou até esta segunda, 12, R$ 1.150 de doações e despesas de R$ 200.

Já Carlos Alexandre (PCdoB), Marco Casale (PSL) e Paulo Bassan (PRTB) não tinham movimentação financeira de campanha até esta segunda.

(Colaborou Lucas Israel)

Candidatos a prefeito de Rio Preto podem gastar até R$2.722.689,86 na campanha, de acordo com valores estabelecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em caso de segundo turno, o que pode acontecer em cidades com mais de 200 mil eleitores- como Rio Preto, o valor pode ser elevado em R$ 1 milhão.

A eleição está marcada para 15 de novembro. Em caso de segundo turno, a data definida pela Justiça Eleitoral é de 29 de novembro.

A lei eleitoral determina que partidos devem divulgar gastos detalhados de campanha. A prestação de contas parcial será divulgada por sistema da Justiça Eleitoral em 27 de outubro.

De acordo com calendário eleitoral que teve prazos alterados por conta da pandemia de coronavírus, o prazo final para entrega de prestações de contas é em dezembro.

Juízes eleitoral têm até dia 12 de fevereiro para julgar a prestação de contas dos candidatos eleitos.