Bassan mira conservadores e espera 'aceno' de Mourão

ELEIÇÕES 2020

Bassan mira conservadores e espera 'aceno' de Mourão


Paulo Bassan, que é médico, afirmou que a pandemia deve seguir até o próximo ano
Paulo Bassan, que é médico, afirmou que a pandemia deve seguir até o próximo ano - Guilherme Baffi 7/10/2020

O sexto candidato a prefeito de Rio Preto entrevistado na série de sabatinas promovida pelo Diário da Região foi o médico Paulo Bassan, candidato pelo PRTB. Sabatinado pelos jornalistas Lucas Israel e Rodrigo Lima, ele disse que para resolver as questões da saúde pós pandemia, é necessário enfrentar os problemas com "vontade política". "Tem que ter uma equipe técnica preparada para isso, mas principalmente tem que ter vontade política, sem vontade política nada acontece".

Pandemia

A gente tem que aprender a conviver com a nova realidade. Esse bichinho aí, o coronavírus, a gente não conhece direito, nós ainda temos que decifrar como ele se comporta a médio e longo prazo, nós estamos aprendendo agora a tratar os pacientes graves, a mortalidade está diminuindo no mundo inteiro, mas a gente já vê alguns países da Europa enfrentando a segunda onda, que provavelmente vai chegar para gente também. Então, o próximo ano vai ser um ano ainda de enfrentamento de Covid-19.

Política, PSL e PRTB

Eu era só um cidadão comum que gostava de ver meu futebol, adoro ver o Palmeiras ganhar do Corinthians, como todo mundo. Eu fui para a política, porque eu vi o País mergulhado num lamaçal, e eu vi que não adiantava eu preparar meus filhos e dar aos meus filhos uma boa formação técnica, uma ajuda financeira e igualmente aos meus netos, se eu não ajudasse a trabalhar para deixar um País para eles. Inicialmente, via PSL, que era o partido do presidente Jair Bolsonaro, que é uma pessoa que eu confio muito. Tem um projeto de País muito parecido com o que eu peço, é viável e factível. Ele tem um projeto viável, digno e decente, e eu confio e acredito nessas ideias.

Bolsonaro e Mourão

Lógico que trabalhei para os dois, com muita força consegui manter um grupo legal aqui em Rio Preto para ajudar, eles vieram aqui nos conhecer e também que a gente se conhecesse né. E eu espero que ele me dê apoio. O presidente Jair Bolsonaro já deixou claro e público que não vai apoiar ninguém no primeiro turno. Em relação ao general Mourão, a gente espera que ele nos dê pelo menos um aceno.

Bolsonarismo

Não importa se ele esteja numa maré de popularidade alta ou baixa, importa que comungo os mesmos princípios. Então, se ele vai me apoiar ou não, a decisão é dele. Vai ser bem-vindo, vai ser ótimo para mim, vai me dar uma força enorme aqui, vai catapultar minha candidatura sem dúvida alguma, mas a decisão é dele.

Tempo de campanha

A gente não tem dinheiro, a gente abriu mão do fundo partidário, a gente não usa dinheiro público. Tem muita gente que fala: "o PRTB não tinha fundo partidário". Tinha sim um fundo, era pouco mas tinha. Nós aqui em Rio Preto não iríamos pegar, porque acredito que é uma indecência pegar dinheiro público numa fase que nós estamos vivendo, principalmente agora, usar dinheiro público para manter campanhas políticas.

Escola militar

Esta medida faz parte de um conjunto de medidas que visam melhorar a qualidade da educação em Rio Preto e, paralelamente, fazer o enfrentamento das questões sociais. Rio Preto tem áreas de vulnerabilidade social em ponto de explosão. Rio Preto não é só a Rio Preto "Suíça". Nós temos uma Rio Preto carente. O Rio Preto que é bonitinho tem que abraçar o outro Rio Preto que lá está carente. Nas escolas cívico militares que a gente vai implantar, vamos procurar implantar em áreas de vulnerabilidade social para começar a formar uma nova geração de cidadãos que pensem diferente.

Coleta Seletiva

O lixo é um problema no mundo inteiro. Coleta de lixo tem o ponto inicial, a coleta seletiva, onde é feita coleta seletiva, tem o transporte, vai para uma área onde é feita determinada separação do orgânico, do metálico e do plástico. O orgânico teoricamente teria que ir para uma central de compostagem que pudesse virar adubo para até alimentar o cinturão verde que nós não temos e nem temos a usina de compostagem. Por quê? Não sei. O que se faz aqui é separar o plástico do metal e mandar para fora.

Cortes

A gente quer ter no máximo 15 secretarias e os cargos comissionados, apenas os necessários, que estão trabalhando produzindo para a sociedade e para o cidadão rio-pretense. Você tendo uma prefeitura mais enxuta, ela se torna mais rápida, mais eficiente, mais dinâmica, mais moderna, mais século 21 e menos século 18.

(Com Yasmin Lisboa)