Carlos Alexandre fala em criar bolsa municipal contra pobreza
Carlos Alexandre, na sabatina: 'Não se pode falar em política no país sem contar a história do PCdoB'
Carlos Alexandre, na sabatina: 'Não se pode falar em política no país sem contar a história do PCdoB' - Johnny Torres 5/10/2020

A segunda sabatina realizada pelo Diário nesta segunda-feira, 5, foi com o candidato a prefeito de Rio Preto Carlos Alexandre, do PCdoB, que concedeu entrevista aos jornalista Lucas Israel e Vinícius Marques. O candidato citou a importância da conscientização da população a respeito dos temas referentes a sustentabilidade. "Se eu mostrar para o cidadão que a praça é dele, ele pode aproveitar e usufruir de tudo que tem lá, benefícios e vantagens, ele vai cuidar da praça. Se permitir que ele use a água daqueles dois riachos, dos canais, ele vai cuidar", disse.

Leia os principais trechos:

Partido comunista

É inevitável responder essa pergunta por que causa nas pessoas esse espanto. Eu tenho sempre dito o seguinte, esta reação não é a mesma com candidatos de outros partidos que são neoliberais, que são liberais, que são social democratas, enfim. Por quê? Porque existe a impressão de que o comunismo é aquela coisa distante, eu digo sempre assim, eu sou filiado a um partido legalizado que já produziu o governador, que já produziu deputados excelentes, prefeitos, vereadores, que daqui a dois anos vai completar 100 anos de existência de luta pela democracia e pela Liberdade. Não se pode falar em política no país sem contar a história do PCdoB.

Bolsa contra a pobreza

Se for vista como assistencialismo não tem importância porque, quem deveria estar fazendo assistencialismo nesse momento de pandemia é o governo federal, que relutou muito para aprovar R$ 600 e agora já baixou pela metade e olha só, em dezembro acaba como se pandemia tivesse acabado. Rio Preto tem R$ 2 bilhões de de orçamento, eu nunca vou dizer que obras não são importantes mas, é preciso priorizar, tem obras fundamentais que não podem nem parar que lidam saneamento básico, com alguma questão essencial para a população menos assistida. Venho de uma realidade onde eu montei uma rede de franquias na cidade de Rio Preto, teve aqui uma rede de franquias da área da educação que no ano 2000 ela cresceu imensamente e ela produziu o pessoal de marketing pessoal jurídica o pessoal da contabilidade, que se especializou no ramo do franchising sabe o que aconteceu Rio Preto se tornou a terceira cidade no país em rede de franquias,

Educação

Vamos ter que repensar algumas coisas na educação, eu tenho três filhos, eu tenho um filho em idade escolar que tá lá há quase 10 meses acompanhando as aulas pela internet, no computador, no celular. Imagine quando esse meu filho voltar a escola, tem que ser submeter a sentar na cadeira a olhar para o quadro negro, é totalmente diferente do computador, da tela e tiver que voltar aquela rotina, será que essa criança, que adolescente, que esse jovem vai ter condições de pegar a escola com a mesma motivação? Então já temos de arrancada um grande problema, como ativar novamente, como trazer novamente essas crianças, como causar interesse, eu acho que a escola vai ser diferente, terá que ser diferente, ela vai ter que se realojar e o próximo gestor vai ter que abraçar isso com muita coragem.

Esquerda dividida

Eu sempre me pergunto assim, a direita sempre teve vários partidos disputando, nunca ninguém se preocupou com a divisão da direita, quando é esquerda que faz isso, gera essa preocupação nas pessoas, e você tem razão gerou mesmo, sempre tive essas perguntas feitas a mim e eu acho que foi feita uma tentativa, vamos estar juntos mas nós temos algumas diferenças pequenas e pontuais mas, a gente tem que andar diferente, principalmente dois outros partidos que estavam na conversa, então vamos jogar diferente vamos falar do alto dos telhados tudo que precisa ser falado, aquilo que a gente tem de comum será falado em três microfones diferentes ou quatro e no momento adequado quando a situação pedir, estaremos juntos.

Sustentabilidade

Temos um ministério do Meio Ambiente que é o pior da nossa história, o mais irresponsável, senão incompetente o que quase dá na mesma, que causou e que permite tudo isso que nós estamos vendo no Pantanal e na Amazônia e tudo mais, então não que o problema não é menor por causa disso, mas não estou dizendo isso, trabalhar com a questão da orientação, trabalhar com a questão da fiscalização, do exemplo. Se eu mostrar para o cidadão que a praça é dele, ele pode aproveitar e usufruir de tudo que tem lá, benefícios e vantagens, ele vai cuidar da praça, se permitir que ele usa água aqueles dois riachos, dos canais ele vai cuidar. Sabe o que a gente faz para ensinar a população a cuidar do meio ambiente São José do Rio Preto? A gente vê o riozinho e a gente canalizada para o carro passar em cima é assim que a gente faz. Leia entrevista na íntegra e veja vídeo no site do Diário.

(Com Yasmin Lisboa)