Candidatos a prefeito de Mirassol apresentam principais propostas

ELEIÇÕES 2020

Candidatos a prefeito de Mirassol apresentam principais propostas

Com 44.262 eleitores aptos a votar neste ano, o município de pouco mais de 60 mil habitantes tem sete chapas na disputa a prefeito e vice na corrida eleitoral de 2020


Mirassol
Urna eletrônica
Urna eletrônica - Nelson Jr./Ascom/TSE

No próximo dia 15 de novembro, Mirassol vai às urnas para escolher o novo nome que irá comandar o Executivo da cidade nos próximos quatro anos. Com 44.262 eleitores aptos a votar neste ano, o município de pouco mais de 60 mil habitantes, que possui 52,1% do eleitorado feminino e 47,8% do gênero masculino, tem sete chapas na disputa a prefeito e vice na corrida eleitoral de 2020.

Em entrevista ao Diário, os sete candidatos falaram sobre a bandeira de suas campanhas e apontaram qual o maior problema da cidade. Confira:

Divulgação/TSE

Natural de Magalhães de Almeida (MA), o empresário Amaury Cunha Camara (Amaury do Posto), 57 anos, já foi vereador em Dolcinópolis, entre 2000 e 2004, pelo PTB, e candidato a deputado estadual, pelo extinto PRP, em 2018. Neste ano, o candidato está na disputa pela cadeira do Executivo de Mirassol pelo Patriota, junto a Valmir Enfermeiro (Avante).

Amaury afirmou direcionar seu trabalho à “viabilização de políticas públicas que possam atender os anseios do povo mirassolense”, sendo os principais pilares de sua chapa a educação, social, emprego, infraestrutura e principalmente saúde, pasta esta que de acordo com ele, é atualmente o maior problema de Mirassol.

“O povo vem sendo prejudicado com a precarização da oferta de serviços da rede municipal de Saúde, com a falta de médicos especialistas, medicamentos, estrutura física adequada e outros aspectos, que juntos refletem o descaso e a falta de humanização do Serviço”, comentou o candidato.

Divulgação/TSE

Nascido em São João das Duas Pontes, o advogado André Ricardo Vieira (PTB), 43 anos, está na política de Mirassol desde 2004, quando concorreu a vereador pelo antigo PFL, hoje DEM. Em 2008, foi candidato a vice-prefeito pelo PDT e, em 2012, participou da corrida pela Prefeitura pelo PTB, não conseguindo a vaga. Em 2016, venceu a disputa e desde janeiro de 2017 está à frente do Executivo da cidade. Tiago Rodrigues (PTB) é o vice na chapa que mira a reeleição.

"Nossa bandeira é continuar o respeito em busca da oportunidade de seguir mudando. Sabemos que a cidade melhorou, mas ainda tem muito para melhorar e nós estamos lutando por essa mudança e pelo crescimento", disse o prefeito, que apontou como bandeira o trabalho realizado ao longo dos últimos anos, principalmente no que diz respeito aos "problemas crônicos administrativos e funcionais" do município.

Para André, Mirassol hoje apresenta menos problemas do que há quatro anos. "Tínhamos problemas em todas as áreas. Ganhamos a eleição ouvindo que tinha que fazer o pontilhão do Beija Flor e a Praça Matriz, por exemplo, obras que fizemos", avaliou.

Divulgação/TSE

Edson Antonio Ermenegildo (PSDB), 63 anos, nasceu em Mirassol, e é delegado afastado da Polícia Civil além de presidente do Mirassol Futebol Clube. É candidato a prefeito pela segunda vez, tendo concorrido também em 2012 pelo mesmo partido. Edson já foi vereador em Mirassol entre 1993 e 1996, e foi presidente do Legislativo entre 1995 e 1996. Ainda disputou uma vaga na Câmara em 2004 e 2008, ficando como suplente na segunda ocasião.

Neste ano, volta à corrida pela Prefeitura com Beto Feres (PL) como vice e tem como bandeira de campanha a prioridade na área de atendimento de Saúde à população. "Vamos unir esforços para contribuir com a finalização do hospital em construção (Lar de São Francisco de Assis) e implementar novos recursos materiais e humanos nas unidades básicas de saúde, bem como aproveitar o antigo prédio da Santa Casa", afirmou o candidato.

Para Dr. Edson, a Saúde Pública é hoje o maior problema de Mirassol. Ele propõe implantar uma espécie de "Poupatempo da Saúde", que deverá reunir diversos órgãos de saúde pública.

Divulgação/TSE

Nascido em Pompeia (SP), o médico Paulo César Camargo Thomé (MDB) é candidato pela primeira vez à Prefeitura de Mirassol, junto à também médica Maria Fernanda (MDB). A bandeira da dupla é voltada às melhorias das condições da saúde do município.

"O foco será a qualificação e melhoria dos modelos da Atenção Primária, garantindo a atenção integral com atividades na promoção, prevenção e recuperação em saúde e realizando ações estratégicas em todas as fases da vida, além de melhorar a integração da Média e Alta Complexidade com toda a Rede de Atenção à Saúde", disse o candidato.

Para ele, o maior problema de Mirassol atualmente é a falta de planejamento para colocar em prática ações que demandam estudos antecipados para uma boa gestão governamental. "É através do planejamento que se poderá desenvolver um programa de geração de emprego e renda à população num cenário pós-pandemia, por exemplo", comentou o médico, que aposta em parcerias com trabalhador, empregador, instituições, associações, faculdades, ensinos técnicos, entre outros.

 

Divulgação/TSE

Atualmente presidente da Câmara, o empresário Marco Antônio Alves (PP), 53 anos, é natural de Mirassol e conclui, neste ano, seu primeiro mandato como vereador, almejando, nestas eleições, tendo como vice Virgílio Zanqueta (PP) a cadeira do Executivo da cidade.

Sua bandeira de campanha está baseada, principalmente, na comissão parlamentar de inquérito (CPI) que abriu na Câmara para apurar investimentos realizados pela Sanessol, empresa contratada para os serviços de água e esgoto no município. O candidato disse que em sua gestão pretende trazer de volta à administração os serviços por meio de autarquia, a fim de reduzir preços.

"Precisamos também melhorar o sistema de saúde e acabar com as filas nos postinhos e exames, também contribuir para a desburocratização dos alvarás de construções e das aberturas de firma, criando ainda parcerias saudáveis para transformar nossa Mirassol em cidade turística", disse Marcão, que apontou como um dos principais problemas da cidade o sistema viário, sugerindo melhor interligação entre municípios como Jaci e Rio Preto.

 

Divulgação/TSE

Natural de Mirassol, o advogado Newton Cesar Silva Pinto (DEM), 61 anos, é candidato a prefeito pela quinta vez no município, tendo já concorrido em 1996, 2000, 2008 e 2016. Newton também foi candidato a vereador em 2004 e exerceu o cargo de parlamentar na cidade entre 1993 e 1996. Ele tem como candidato a vice Luís Carlos Donegá (Republicanos).

"Minha bandeira é trabalhar pelas pessoas e implantar uma nova gerência pública, onde a participação popular seja efetiva, tanto na saúde, educação, geração de emprego e renda, planejamento urbano, políticas públicas etc", afirmou o candidato.

Segundo Newton, Mirassol atualmente enfrenta como principal problema o planejamento municipal. "Precisamos rever e propor os instrumentos legais para facilitar o desenvolvimento urbano, econômico e social do município, como leis e códigos, e também nos preocupamos com a segurança alimentar das pessoas e com a oferta de habitações populares", comentou o candidato.

 

Divulgação/TSE

Nascido em Mirassol, o empresário Benedito Tiago Pires Barbosa (PSC) tem 38 anos e já concorreu a uma vaga na Câmara do município, pelo PTB, em 2012, ficando como suplente. Agora, ele almeja o cargo de prefeito em uma "chapa pura", alegando que a cidade precisa "quebrar o monopólio" e "respirar novos ares".

De acordo com ele, os maiores problemas de Mirassol estão na Saúde, com estruturas de hospitais fechadas, além da falta de emprego, "precariedade no transporte público" e "abandono de prédios públicos."

A bandeira de sua campanha é cuidar de "vidas". "Vamos tornar Mirassol uma cidade humanizada, com ações concretas que possibilitem qualidade de vida a todos e um governo participativo, com clareza e transparência", afirmou o candidato.

Até a última segunda-feira, 5, o vice de Tiago seria Fábio Silva, que renunciou sua candidatura após um pedido de impugnação junto ao TSE. O novo vice será divulgado nesta terça-feira, 6.

 

Total de eleitores aptos a votar em Mirassol: 44.262 (52,1% feminino e 47,8% masculino)

Faixa etária predominante entre os eleitores: 40 a 44 anos (4.332 /9,79%)

Estado civil predominante entre os eleitores: Casado (20.758 eleitores/46,9%)

Grau de Instrução predominante entre os eleitores: Ensino Médio Completo (14.118 / 31,9%)

(Fonte: TSE)