SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 24 DE SETEMBRO DE 2021
RIO PRETO E REGIÃO

Governo 'sinaliza' renovação e abre caminho para 3ª faixa na Washington Luís

Contrato com a concessionária Triângulo do Sol deve ser prorrogado, o que garante obras de terceira faixa na Washington Luís, entre Mirassol e Cedral, passando por Rio Preto, afirma secretário de Doria

Vinicius MarquesPublicado em 15/09/2020 às 22:52Atualizado há 06/06/2021 às 20:30
Representantes da Apeoesp fazem protesto contra o governador Joao Doria (PSDB) (Guilherme Baffi 15/9/2020)

Representantes da Apeoesp fazem protesto contra o governador Joao Doria (PSDB) (Guilherme Baffi 15/9/2020)

O governo de São Paulo irá decidir, até o final deste mês, como serão as obras para construção de terceira faixa na rodovia Washington Luís, no trecho entre Mirassol e Cedral, passando por Rio Preto. A obra, que chegou a ser prometida pelo ex-governador Geraldo Alckmin, é avaliada em cerca de R$ 500 milhões.

A afirmação sobre a renovação foi feita pelo secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, que acompanhou o governador, João Doria (PSDB), em visita a Rio Preto, para entrega e reforma de delegacias, em evento com mais de 30 pessoas na inauguração da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic), na região norte da cidade.

"Temos trabalho junto com a Artesp (Agência Reguladora de Transportes Terrestres) para que a gente possa ter uma renovação da concessão e implementação da terceira faixa. Devemos anunciar até o fim do mês de setembro", disse Vinholi.

O governador participou da inauguração da divisão em Rio Preto e também descerrou as placas das delegacias de Paulo de Faria e de Monte Aprazível. Segundo informações do governo estadual, o investimento foi de cerca de R$ 1,8 milhão.

Aeroportos

Doria disse que o governo irá seguir neste semestre com projeto de concessão de aeroportos do Estado, hoje administrados pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp). O pacote inclui o aeroporto de Rio Preto.

A licitação foi dividida em dois lotes, tendo como aeroportos principais Rio Preto e Ribeirão. Estão previstos investimentos de R$ 700 milhões da iniciativa privada em projeto que foi anunciado em fevereiro, mas está em ritmo lento por conta da pandemia da Covid-19. "Todos os 22 aeroportos regionais do Estado serão concedidos ao setor privado. A ideia é manter o programa de concessão, incluindo São José do Rio Preto", disse Doria.

Queimada

O governador falou sobre estudo de comitê da Prefeitura para recuperação da área do antigo IPA, que teve área queimada ma semana passada. "O governo do Estado vive, por força da pandemia, uma situação inédita de perda de R$ 10,4 bilhões de receita desde março. Está nos nossos planos, destinaremos esforços, capacidade de mobilização, mas também convites para o apoio do setor privado e instituições", afirmou Doria, no evento.

Leilão

Parte do trecho onde fica a área do antigo IPA está previsto para ser leiloado, em projeto do governo do Estado que tramita na Assembleia Legislativa. "O governo do Estado de São Paulo definiu que não vai mudar de ideia de fazer a concessão de vários parques estaduais, florestais, para iniciativa privada. Vamos seguir dentro dessa linha para proteger o meio ambiente", afirmou.

A venda de áreas do Estado, assim como extinção de dez autarquias e empresas públicas, está prevista em projeto do governador que tramita na Assembleia Legislativa.

Contratações

O governador também respondeu a questionamento sobre contratações de policiais que foram suspensas pelo Estado. Segundo Doria, a medida segue exigências de lei federal, do presidente Jair Bolsonaro, que congelou nomeações e gratificações em Estados e municípios até dezembro de 2021.

Volta às aulas depende de prefeitos, afirma Doria

O governador João Doria (PSDB) afirmou nesta terça-feira, 15, em Rio Preto, que a volta às aulas presenciais, previstas para 7 de outubro, depende de prefeitos e prefeitas. De acordo com o governador, a data de retorno ainda será confirmada até o final desta semana.

Em Rio Preto, uma pesquisa feita com 15.446 pais e responsáveis de alunos mostra que a maioria é contra o retorno presencial. O levantamento, realizado de forma online, apontou que em torno de 80% foram contra o retorno das aulas. Eles afirmaram ter medo de possível contaminação por coronavírus.

O governador reafirmou que a data prevista para volta às aulas foi em 7 de outubro, e deve ser feita "sempre de acordo com decisões de prefeitos e prefeitas". "A volta é gradual. Não haverá ocupação plena da rede pública num único dia", disse. Segundo Doria, a ocupação nas salas de aula será de 30%. "Nós respeitamos a autonomia municipal", afirmou o governador.

Grupo do Sindicato Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) protestou em frente ao prédio da Deic contra a volta às aulas, com faixas e cartazes. "Aqui em Rio Preto, a maioria dos professores está em grupo de risco", afirmou Elaine Lacerda, coordenadora da Apeoesp em Rio Preto. Somos contra o retorno nos moldes que está sendo proposto", afirmou a coordenadora do sindicato. Elaine afirmou que entregou carta de reivindicação a um assessor do governador. (VM)

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por