lava Jato diz que não espreita Serra e pede apoio à PGR

Investigação suspensa

lava Jato diz que não espreita Serra e pede apoio à PGR


A força-tarefa Lava Jato em São Paulo encaminhou desta sexta, 31, um ofício à Procuradoria-Geral da República pedindo providências para que a liminar que suspendeu as investigações da operação Revoada - apuração de esquema de lavagem de dinheiro transnacional envolvendo o senador José Serra (PSDB-SP) - seja levada urgentemente a julgamento e as atividades de investigação rapidamente retomadas.

No documento, os procuradores ressaltam que não houve violação à prerrogativa de foro de Serra, tendo em vista que a Revoada não investiga quaisquer atividades do tucano relacionadas a seu atual cargo no Senado, mas sim crimes praticados em razão do cargo de governador de São Paulo.

Aberta no dia 03 de julho, a Revoada cumpriu oito mandados de busca e apreensão para aprofundar as investigações relacionadas a esquema de lavagem de dinheiro transnacional que teria beneficiado o senador e sua filha, Verônica Allende Serra.

No entanto, nesta quarta, 29, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, deferiu liminar suspendendo 'toda a investigação deflagrada' pela 6ª Vara Criminal de São Paulo contra Serra. A decisão levou o juiz Diego Paes Moreira, titular da Vara, a suspender a ação por lavagem de dinheiro contra o senador, mesmo, segundo a Lava Jato de SP, 'reconhecendo não ter ela sido afetada pela liminar concedida' pelo presidente do STF.No documento à PGR, a força-tarefa paulista rebateu indicações da defesa de Serra, que apresentou o pedido ao Supremo para a suspensão das investigações, e também ponderações feitas por Toffoli, que travou as apurações.