Geraldo Alckmin vira réu por propina e caixa 2

Também Odebrecht

Geraldo Alckmin vira réu por propina e caixa 2


-

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) virou réu nesta quinta, 30, por corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral (caixa dois) após o juiz Marco Antonio Vargas aceitar denúncia apresentada pelo Ministério Público Eleitoral na quinta, 23. Com a decisão, ele passa a responder ação penal eleitoral por suposto caixa dois de R$ 11,9 milhões pagos pela Odebrecht nas campanhas de 2010 e 2014. A decisão também põe no banco dos réus o então tesoureiro da campanha de Alckmin em 2014, Marcos Monteiro, e o ex-assessor do governo Sebastião Eduardo de Castro. Ambos teriam recebido os repasses ilegais da empreiteira em nome do tucano.

Serra

O juiz Diego Paes Moreira, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, suspendeu ação por lavagem de dinheiro contra outro tucano, o senador José Serra. A decisão ocorre após o magistrado ser notificado de que o presidente do STF, Dias Toffoli, travou as investigações da Justiça Federal. Toffoli deferiu liminar às 16h56 de ontem. Às 18h, Paes Moreira aceitou denúncia do MPF e colocou Serra e a filha, Verônica, no banco dos réus. O recebimento da denúncia, agora, fica suspenso.