Prefeitura de Rio Preto formaliza comissão para inspecionar viadutos

COMISSÃO FORMADA

Prefeitura de Rio Preto formaliza comissão para inspecionar viadutos

Segundo a Prefeitura, a Comissão será formada por um integrante nomeado pelas secretarias de Obras, Trânsito e Agricultura


Viaduto Abreu Sodré precisou passar por obras  para corrigir danos como vãos e parte da estrutura à mostra
Viaduto Abreu Sodré precisou passar por obras para corrigir danos como vãos e parte da estrutura à mostra - Guilherme Baffi 20/1/2020

A Prefeitura de Rio Preto, em decreto publicado nesta quarta-feira, 29, criou a Comissão de Inspeção e Avaliação de pontes, viadutos e passarelas em Rio Preto. O decreto regulamenta a Lei 18.647 que obriga a inspeção anual destes dispositivos de trânsito na cidade.

Os problemas nos viadutos de Rio Preto foram revelados pelo Diário em março de 2019. Na ocasião, o Prefeitura apresentou diversos laudos ao Ministério Público (MP) que mostraram a existência de problemas graves em 28 dispositivos em toda a cidade. Foram vistoriadas 52 pontes e viadutos. Um dos casos mais simbólicos foi o do viaduto Abreu Sodré, construído na década de 1960 e que liga as avenidas Alberto Andaló e Philadelpho Gouveia Neto, que tinha parte da estrutura à mostra, juntas danificadas e vãos.

Depois disso, um projeto foi apresentado na Câmara Municipal pelo vereador Jean Dornelas (MDB) para que a prefeitura realizasse as inspeções. A Prefeitura, inicialmente, vetou a proposta, mas a medida foi derrubada pela Câmara e o texto passou a valer.

Segundo a Prefeitura, a Comissão será formada por um integrante nomeado pelas secretarias de Obras, Trânsito e Agricultura. O objetivo do grupo será "realizar periodicamente conjunto de procedimento técnicos e especializados nas OAE's - Obras de Arte Especiais (pontes, pontilhões, viadutos e passarelas) existentes no município de São José do Rio Preto, visando a coleta de dados para subsidiar a formulação de diagnóstico e prognóstico, objetivando manter ou restabelecer os requisitos de segurança estrutural, de funcionalidade e de durabilidade".

Ainda de acordo com o decreto, a formação da comissão terá validade de quatro anos e os integrantes não receberão qualquer adicional nos vencimentos.