Acirp recorre contra o fechamento de salões e barbearias em Rio Preto

FLEXIBILIZAÇÃO

Acirp recorre contra o fechamento de salões e barbearias em Rio Preto

Pelo plano estadual, esses estabelecimentos só podem funcionar na fase 3, a amarela. Por enquanto Rio Preto está na fase 2, a laranja


Concentrados na frente da Prefeitura, cabeleireiros e manicures de Rio Preto já pediram a reabertura das barbearias e salões de beleza no dia 22 de maio
Concentrados na frente da Prefeitura, cabeleireiros e manicures de Rio Preto já pediram a reabertura das barbearias e salões de beleza no dia 22 de maio - Guilherme Baffi 22/5/2020

A Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto (Acirp) recorreu da decisão do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-SP) que suspendeu liminar expedida pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda da cidade, Adilson Araki Ribeiro, para liberar o funcionamento de cerca de 170 salões de beleza e barbearias associados. A categoria está proibida de abrir, uma vez que pelo planejamento estadual, os estabelecimentos só podem funcionar na fase 3, a amarela. Por enquanto Rio Preto está na fase 2, a laranja.

"É papel da Acirp trabalhar para que todas as atividades econômicas voltem a funcionar, cumprindo rigorosamente as normas sanitárias estabelecidas pelos órgãos de saúde", diz a nota da associação. Até o fechamento do texto não havia decisão sobre o recurso.

A decisão dos desembargadores, em São Paulo, atendeu pedido do governo Edinho Araújo (MDB). A Procuradoria-Geral do município recorreu da autorização, assim como também contestou liminares concedidas a estabelecimentos que recorreram à Justiça de forma individual. Para o relator José Percival Albano Nogueira Junior o funcionamento das atividades "certamente contribuirá para transmissibilidade".

A Acirp também tenta reverter decisão que negou a reabertura de academias associadas.