Alexandre tira Sara da cadeia, mas impõe uso de tornozeleira

DISTÂNCIA DE UM QUILÔMETRO DO STF

Alexandre tira Sara da cadeia, mas impõe uso de tornozeleira


Ministro do Supremo Alexandre de Moraes
Ministro do Supremo Alexandre de Moraes - Rosinei Coutinho/SCO STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, ordenou a soltura da extremista Sara Giromini, detida no Presídio Feminino do Gama, no Distrito Federal. Sara estava presa provisoriamente desde o dia 15 no âmbito das investigações sobre financiamento dos atos antidemocráticos. Ela deverá deixar a cadeia utilizando tornozeleira eletrônica e somente poderá sair de casa para trabalhar ou estudar, mantendo distância mínima de um quilômetro da sede do STF e do Congresso Nacional.

Com a medida cautelar, a extremista fica proibida de participar de atos ou manifestações que tem sido conduzidas pelo grupo que liderava, o '300 do Brasil'. As medidas cautelares se estendem a outros cinco investigados do inquérito, que também foram detidos.

De acordo com o ministro, há 'risco à investigação e a necessidade de restrição à atuação dos integrantes do grupo com relação aos fatos investigados' no inquérito. No entanto, seria 'suficiente' a aplicação de medidas cautelares no lugar da prisão preventiva. Além da tornozeleira, a extremista também está proibida de manter contato com outros investigados, incluindo parlamentares, influenciadores e perfis virtuais que se tornaram alvo do inquérito.