Estado propõe fechar comércio de domingo a terça em Rio Preto

Com ‘mini-lockdown’

Estado propõe fechar comércio de domingo a terça em Rio Preto

Plano foi apresentado a Edinho nesta quarta em contraproposta à intenção da Prefeitura de fechar por dois dias o comércio e abrir uma hora a mais; entidades do comércio reagem e criticam iniciativa


Prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo, discutiu o assunto com entidades do comércio a proposta do Estado
Prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo, discutiu o assunto com entidades do comércio a proposta do Estado - Guilherme Baffi 24/6/2020

Proposta do governo de João Doria (PSDB) apresentada ao prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), nesta quarta-feira, 24, prevê abertura do comércio em geral por mais horas e fechamento por três dias, de domingo a terça-feira. A mudança é uma contraposta do Estado à plano da Prefeitura de flexibilização do comércio.

A proposta inicial da Prefeitura, de "mini-lockdown" dois dias (domingo e segunda) por semana, com a ampliação de uma hora de funcionamento por dia foi analisada por comitê do Estado sobre combate à pandemia. As mudanças foram divulgadas pelo secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi (PSDB) ao prefeito. Ambos participaram de reunião virtual nesta quarta-feira, 24. Entidades ligadas ao comércio, em maioria aprovam mais horas, mas criticam um dia a extra fechado. Representantes do setor se reuniram com Edinho à tarde. O prefeito participa de conselho municipalista, que inclui outras regiões do Estado, que debate a situação da Covid-19 semanalmente.

Em comunicado da Prefeitura, divulgado pela manhã, o prefeito afirmou aceitar a sugestão do Estado. "Nós aceitamos essa contraproposta, pois sabemos da importância de se preservar vidas. Agora aguardamos uma posição do Estado para saber se podemos seguir este plano", disse Edinho. O governo afirmou, à tarde, que iria ouvir associações do comércio antes de tomar a decisão. Para alterar as regras, a Prefeitura precisa editar novo decreto sobre funcionamento dos serviços. Em nota, o gabinete do prefeito informou que não havia decisão sobre o tema. O Estado afirmou que poderia haver decisão ainda nesta quarta, mas até o fechamento desta edição, não havia resultado oficial do comitê.

Segundo o estudo em análise pelo município, de domingo a terça, apenas serviços considerados essenciais poderão funcionar, como bancos, supermercados, padarias, entre outros setores.

Atualmente, conforme decreto da Prefeitura de Rio Preto, que segue normas do Estado, o comércio varejista e shoppings podem abrir quatro horas por dia, com limitação da capacidade de atendimento, além de regras de isolamento e higienização. No sábado o comércio no Calçadão tem de fechar.

O município está na segunda fase do plano de retomada da economia da economia, a chamada fase amarela. Essa situação irá permanecer até segunda, 28. A situação de cada região do Estado será divulgada na sexta-feira, 26. Caso avance de etapa, as regras ficam mais brandas, com liberação de salões de beleza e possibilidade de abertura de bares e restaurantes. Em caso de regressão, a cidade passa faixa vermelha, apenas com serviços essenciais. A proposta do Estado já sinaliza que Rio Preto, ao menos, deve permanecer na fase atual. A disponibilidade de leitos de UTI nos hospitais tem peso maior na avaliação do Estado. Ainda são analisados o aumento e a evolução no número de casos da doença e de mortes. Os dados serão enviados ao governo do Estado nesta quinta, 25, para análise do comitê.

 

Maioria de e entidades ligadas ao comércio de Rio Preto critica a iniciativa do governo do Estado de São Paulo de fazer um "mini-lockdown" de três dias em Rio Preto. Os centros comerciais, que hoje estão autorizados a funcionar quatro horas por dia durante toda a semana, teriam o horário ampliado para seis horas diárias. Grupo se reuniu com Edinho à tarde. O pedido para ampliar o horário de funcionamento dos centros comerciais, mas fechar três dias, gera polêmica. "Toda ampliação de horário neste momento é inteligente, porque contribui para não haver aglomeração. Três dias são demasiados porque você estica o horário, mas obriga a aglomeração em menos dias", afirma Luis Fernando Rodrigues, diretor-administrativo do Plaza Avenida Shopping.

Os questionamentos também são relativos a horários diferenciados do comércio de rua, atualmente das 9h às 13h e shoppings, das 15h às 19h,. "Os shoppings estão fazendo a lição de casa certinho. Fechar domingo, tudo bem. Mas terça-feira também? O consumidor vai ficar mais perdido ainda", afirma Walter Carrazone, diretor de comércio da Acirp e que também representa os shoppings em reuniões com a Prefeitura.

Já o presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio), Ricardo Arroyo. "A gente vê uma falta total de bom senso. Vamos ficar três dias fechados. Vai continuar tendo aglomeração", afirmou. Segundo ele, a proposta da Prefeitura de Rio Preto é melhor, ainda que mantenha dois dias de fechamento. "As pessoas vão continuar procurando o comércio para as necessidades delas", conclui.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto (Acirp), Kelvin Kaiser, afirmou que é favorável à ampliação do horário.

"A Acirp entende que o principal objetivo desta proposta é combater a aglomeração das pessoas nos pontos comerciais, evitando assim que os números dos indicadores do Plano SP sofram piora"
Outro grupo de comerciantes se reuniu com Edinho Araújo para propôr a abertura do comércio de segunda à sábado por seis horas, proposta negada. "Estão inflexíveis", afirma o comerciante Andersson Martins, que participou do encontro. A Prefeitura afirma que tem de seguir regras definidas pelo Estado.

(Lucas Israel)