TSE propõe campanha eleitoral mais longa

VOTAÇÃO HOJE

TSE propõe campanha eleitoral mais longa

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirma que pretende colocar a proposta em pauta nesta terça


Tribunal Superior Eleitoral (TSE)
Tribunal Superior Eleitoral (TSE) - Elza Fiúza/ABr

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, propôs ao Congresso Nacional o alongamento da campanha eleitoral para candidatos a prefeito e vereador neste ano. Em função da pandemia de covid-19, o ministro sugeriu que o início da campanha seja mantido em agosto, mesmo que o dia da votação seja adiado.

Barroso participou de audiência virtual sobre o adiamento da eleição. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirma que pretende colocar a proposta em pauta nesta terça-feira, 23.

O adiamento divide o Congresso, conforme o Diário divulgou na edição deste domingo, 21. Deputados federais da região afirmam que não há consenso sobre o adiamento. Se passar pelo Senado, o projeto segue para análise da Câmara dos Deputados.

A eleição pode ser mantida para 4 de outubro. Emendas apresentadas à proposta preveem até prorrogação de atuais mandatos até 2022 ou adiar a eleição para o ano que vem.

A sugestão do TSE é que, em função da pandemia de covid-19, o primeiro e o segundo turno das eleições municipais sejam adiadas para um período entre 15 de novembro e 20 de dezembro. Na prática, a manutenção das datas para convenções partidárias e registro de candidaturas nos dias 5 e 15 de agosto, respectivamente, levaria a campanha eleitoral a durar quase dois meses a mais do prazo original.

O epidemiologista David Uip afirmou que o adiamento das eleições em dois meses poderá salvar milhares de vidas. O parecer que deve ir a plenário na terça prevê a primeiro turno em 15 de novembro.

(Com Agência Estado)