Contorno ferroviário em Rio Preto fica pronto até 2026, diz Rumo

DESVIO DO TREM

Contorno ferroviário em Rio Preto fica pronto até 2026, diz Rumo

Obra que engloba Rio Preto, Cedral e Mirassol depende de licenças ambientais


Trem da Rumo passa por Rio Preto nesta sexta-feira à tarde
Trem da Rumo passa por Rio Preto nesta sexta-feira à tarde - Johnny Torres 19/62020/

O contorno ferroviário que irá retirar trilhos da região central de Cedral, Rio Preto e Mirassol, vai ficar pronto até 2026. A afirmação é do diretor regulatório institucional da Rumo, Guilherme Penin. Ele disse que a obra, orçada em R$ 497,3 milhões, com 59 quilômetros de extensão, está em fase final de elaboração do projeto executivo e depende de licenças ambientais, da Cetesb, para ter início. Penin fez a declaração em entrevista coletiva virtual na manhã desta sexta-feira, 19, que também teve intervenções do prefeito Edinho Araújo (MDB).

O Diário participou da entrevista sobre a obra reivindicada há anos. O contorno ferroviário passou a ser cobrado ainda mais depois da tragédia com trens da ALL, em 2013, no Jardim Conceição, com a morte de oito pessoas. De acordo com o dirigente da Rumo, a obra é uma contrapartida pela renovação antecipada da exploração da Malha Paulista de ferrovias.

O estudo do contorno prevê ainda a construção de 25 obras de arte, sendo cinco pontes e 20 viadutos ferroviários. O projeto estima, por exemplo, que a linha férrea passará sobre a rodovia Washington Luís (SP-310), além de viadutos e uma ponte ferroviária distribuídos ao longo da ferrovia em cruzamentos com a BR-153.

De acordo com o diretor, o estudo ambiental deve ser apresentado à Cetesb em fevereiro. "Vamos trabalhar junto à Cetesb para que a licença saia o mais rápido possível para que a gente possa efetivamente iniciar as obras. Pensando prazo padrão, a gente imagina que atravesse o ano de 2021 inteiro para obter a licença de instalação (da obra)", afirmou Penin. Segundo a previsão dele, o início da obra deve ocorrer no início de 2022. A concessionária irá arcar com custos de desapropriações.

O contorno terá início por área rural de Cedral e termina fora do perímetro urbano de Mirassol. A mudança passará ao sul de Bady Bassitt. Segundo a Rumo, a distância dos trilhos do Centro, em Rio Preto, será de dez quilômetros.

O contrato de concessão com a Rumo termina em 2058. Os investimentos em contorno ou para melhoria de passagens da linha férrea em áreas urbanas do Estado estão previstos na ordem de R$ 1 bilhão. Entre obras previstas estão a duplicação da malha férrea na região de Campinas, construção de seis novos pátios, 27 ampliações, recuperação de 800 quilômetros de ramais e modernização de 1,1 mil quilômetros da Malha Paulista.

Apesar do anúncio da obra, o trecho em Rio Preto terá aumento de composições quando a Malha Norte-Sul entrar em operação, também operada pela Rumo. Trecho de Estrela D'Oeste está em obras, o que representará aumento de pelo menos quatro composições por dia a partir do segundo semestre de 2021. Atualmente, cerca de 20 composições passam diariamente por Rio Preto.

 

Na entrevista virtual nesta sexta-feira, 19, o prefeito de Rio Preto, "Edinho Araújo (MDB), voltou a dizer que pretende utilizar o atual traçado da linha férrea para VLT (veículo leve sobre os trilhos). Ele disse que o trecho de mais de 30 quilômetros pode ser utilizado para passeio e também para transporte, o que inclui Cedral e Mirassol.

"Nós já pedimos para o governo Federal e estamos reiterando o nosso desejo de permanecer com os trilhos. Nestes locais queremos conceder a iniciativa privada para instalação de VLT's que poderão interligar vários bairros e outras cidades", afirmou o prefeito.