Edinho propõe ‘mini-lockdown’ em Rio Preto aos domingos e segundas

EM RIO PRETO

Edinho propõe ‘mini-lockdown’ em Rio Preto aos domingos e segundas

Mudanças em medidas adotadas pela Prefeitura de Rio Preto durante a pandemia de coronavírus foram apresentadas ao secretário de Desenvolvimento de São Paulo, Marco Vinholi, nesta quarta-feira


Edinho em seu gabinete durante videoconferência com secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi
Edinho em seu gabinete durante videoconferência com secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi - Divulgação/Prefeitura Rio Preto

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), participou na manhã desta quarta-feira, 17, de videoconferência com o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, e pediu maior autonomia ao município para ampliar horário do comércio, com "mini-lockdown" durante aos domingos e segundas-feiras. Dezesseis prefeitos do conselho municipalista de retomada da economia também participaram da reunião virtual. Segundo a Prefeitura, a proposta foi encaminhada ao vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM).

A intenção do governo Edinho Araújo (MDB) é autorizar o funcionamento diário do comércio de rua e dos shoppings por cinco horas diárias, ao invés de quatro, entre as terças e sábados, com fechamento aos domingos e segundas-feiras - nesses dias devem ser mantidos apenas serviços considerados essenciais.

A equipe do prefeito definiu a proposta como "mini-lockdown e deve ser adotada enquanto Rio Preto permanecer na fase 2, a laranja, do plano São Paulo de reabertura. Nesse momento é permitida a abertura de atividades, como concessionárias de veículos, comércio e shoppings, com regras de higienização e restrição de público.

O governo municipal diz que a mudança irá reduzir aglomerações. "Com uma hora a mais de funcionamento diário, diminuímos o fluxo de pessoas ao mesmo tempo no comércio de rua e nos shoppings e ainda ganhamos dois dias com baixa movimentação de pessoas", afirma Edinho.

Segundo a Prefeitura, "no horário acumulado da semana não haverá alteração significativa". O comércio varejista, principalmente com lojas no Centro, funciona 24 horas por semana e passaria para 25 horas. Já os shoppings abrem por 28 horas e passariam para 25 horas semanais. Atualmente, o comércio na região central está fechado aos sábados.

A prefeitura espera autorização do Estado para colocar a nova proposta em prática a partir desta sexta-feira, 19. Vinholi disse ao Diário que irá encaminhar o pedido ao comitê de enfrentamento da pandemia do Estado. "Foi uma proposta aceita por outros prefeitos. Será encaminhada para análise do comitê", afirmou.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto (Acirp), Kelvin Kaiser, disse que apoia a efetivação da proposta. "Porque é muito caro abrir só para quatro horas. No domingo, o pessoal percebia que era mais de passeio e a segunda sempre foi um dia baixo de compras. São dois pontos estratégicos", afirmou.

Já o Sindicato do Comércio Varejista (Sincomercio) quer liberar ao menos seis horas e briga na Justiça pela ampliação. O diretor, Orvásio Tancredi, criticou a proposta de Edinho. "Vão trocar seis por meia dúzia. Defendemos a reabertura total. Essa proposta irá resultar em aglomeração do mesmo jeito", disse.

Avaliação

Edinho e Vinholi analisaram os dados de Rio Preto também em conversa na noite de terça-feira, 16. Para o governo estadual, embora o município registre alta de casos de mortes em função da doença, a taxa de ocupação de leitos de UTI, exclusivos para a Covid-19, está nos 35%. Nesta quarta, a Prefeitura divulgou que a cidade tem 1.494 casos de Covid-19 e 43 mortes.

No início da tarde, o governador João Doria (PSBD) afirmou que nova avaliação das regiões do Estado serão divulgadas a partir de agora às sextas-feiras. Com isso, nesta sexta, o governador irá atualizar a situação das regiões. Segundo o Diário apurou, a tendência é de que Rio Preto permaneça na fase laranja ao menos até 28 de junho.

Horários

  • Atualmente, o comércio varejista (região central e o Calçadão) pode abrir por quatro horas por dia, com 20% da capacidade de público. A abertura aos sábados está vetada.
  • Pela proposta, o comércio abriria cinco horas por dia de terça a sábado. Já aos domingos e as segundas-feiras ficaria fechado, só com serviços essenciais

Shoppings

  • Podem abrir, atualmente, das 15h às 19h, de segunda a domingo. Pelo plano abriria de terça a sábado, com mini-lockdown aos domingos e segundas-feiras.

Fonte- Prefeitura

 

Divulgação

O Tribunal de Justiça de São Paulo cassou na noite desta terça-feira, 16, a liminar que permitia a abertura de salões de beleza e barbearias para cerca de 170 associados à Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto (Acirp). Nesta quarta-feira, 17, a entidade reagiu e afirmou que enquanto houver recurso vai reivindicar a reabertura dos negócios. A associação voltou a criticar as aglomerações clandestinas, como os eventos particulares.

"O trabalho não é o vilão. Não é fechando o comércio que iremos conter a pandemia", afirma trecho da nota. "O contágio vem, sim, ocorrendo, principalmente nas atividades fora do trabalho, ou seja, nos encontros particulares, nos eventos esportivos, nas festas que sabemos que continuam acontecendo", criticou o comunicado.

Para a Acirp, "está na hora" do Poder Público e das autoridades focarem na conscientização da população sobre os riscos das aglomerações. "A mira precisa ser direcionada para ações que mantenham a economia girando e a sociedade com emprego e renda para manter as famílias". O proprietário de uma barbearia Daniel Marzochio complementa. "São readequações simples (prevenção à Covid-19) que todos nós conseguimos fazer".

Suspensão

A decisão do desembargador Percival Nogueira foi justificada pelo aumento de casos de Covid-19 em Rio Preto. "Os decretos municipal e estadual encontram-se providos de fundamentação válida, voltados à contenção da transmissibilidade da doença causada pelo Coronavírus Covid 19, em plena ascensão de contágio no interior paulista, com crescimento exponencial na cidade de São José do Rio Preto e região, e não padecem de ilegalidade a ser contornada pelo Judiciário", escreveu.

O funcionamento de salões de beleza e barbearias está previsto pela fase 3, a amarela, do plano São Paulo de reabertura da economia do Estado - a região administrativa de Rio Preto está na fase 2, a laranja. "Consectário (resultado) lógico, é que o momento exige total atenção ainda, e assim que a cidade apresentar melhor controle da pandemia a permitir a flexibilização, as medidas restritivas locais serão revistas nesse sentido, de acordo com o plano oficializado", afirma outro trecho da decisão do desembargador. ( FP)

A Procuradoria-Geral do Estado prepara Ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra decreto municipal do prefeito de Olímpia, Fernando Cunha (PSD), que libera serviços não essenciais proibidos pela fase 1, a vermelha, do plano São Paulo de reabertura, pela qual Olímpia está classificada.

Por pertencer à região de Barretos, onde a Covid-19 avançou nas últimas semanas, a cidade regrediu da fase 3, a amarela. No entanto, Cunha mantém o comércio aberto, enquanto tenta suspender as regras estaduais na Justiça. Até o fechamento do texto não havia decisão judicial.