Repercussão negativa

Bolsonaro resolve desistir de churrasco


    • máx min
O presidente da República, Jair Bolsonaro, cumprimenta populares no Palácio da Alvorada
O presidente da República, Jair Bolsonaro, cumprimenta populares no Palácio da Alvorada - Marcello Casal Jr Agência Brasil 30/04/2020

O presidente Jair Bolsonaro desistiu de realizar um churrasco no Palácio da Alvorada neste sábado, 9, após forte repercussão negativa pela confraternização em meio ao avanço de mortes pela covid-19. Bolsonaro ainda chamou o evento que ele mesmo anunciou dias atrás de "churrasco fake" (falso). Nesta sexta-feira, em tom de ironia, ele declarou que esperava receber 3 mil pessoas no churrasco. "Quem estiver aqui amanhã (sábado) a gente bota para dentro. Três mil pessoas no churrasco amanhã", disse ele.

Desde a noite de sexta-feira, 8, o cancelamento era avaliado, após Bolsonaro ter sido alertado de que o "timing" para a realização da festa não era bom. Na noite de quinta, o presidente havia afirmado a apoiadores que receberia "uns 30 convidados" para um churrasco e cobraria R$ 70 de cada um. A realização de eventos como esse esbarra em orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que defende o isolamento social como principal estratégia para combater a pandemia do novo coronavírus.

O presidente acusou "fake news" na divulgação do churrasco. "Alguns jornalistas idiotas criticaram o churrasco fake, mas o MBL se superou, entrou com ação na Justiça", escreveu o presidente no Twitter neste sábado, fazendo referência à medida judicial proposta pelo Movimento Brasil Livre. Na internet, o assunto #churrascodamorte esteve entre os mais comentados no Twitter neste sábado, 9.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro se aglomeraram em Brasília, na tarde deste sábado, A manifestação, convocada pelas redes sociais, teve frases e cartazes de ataque ao ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Congresso Nacional.