Mirassol encara o Corinthians neste domingo

PAULISTÃO

Mirassol encara o Corinthians neste domingo

Após classificação histórica contra o São Paulo, no Morumbi, Mirassol encara o Corinthians em busca da primeira vitória contra o alvinegro, na casa do adversário; em jogo, uma vaga na final do Paulistão


Equipe comandada por Ricardo Catalá treinou em Sorocaba, em preparação para duelo decisivo com o Corinthians
Equipe comandada por Ricardo Catalá treinou em Sorocaba, em preparação para duelo decisivo com o Corinthians - Divulgação/Mirassol F.C

O Mirassol espera ainda mais pressão para o jogo deste domingo, 2, contra o Corinthians, às 16 horas, válido pelas semifinais do Campeonato Paulista e ainda quebrar um tabu: o Leão jamais derrotou o alvinegro em nove confrontos na história. São cinco derrotas e quatro empates.

Se em campo a esperança é grande, o retrospecto não ajuda o Leão. Em nove partidas oficiais contra o Corinthians, o Mirassol nunca venceu o adversário. Foram cinco vitórias e quatro empates. Na última partida, em fevereiro, o Mirassol empatou em 1 a 1 com o Corinthians. Ramiro abriu o placar para o Timão e Camilo, que já não está mais com o elenco do Leão, igualou o confronto.

De lá para cá, muita coisa mudou. O Mirassol perdeu 18 jogadores, enquanto o Corinthians, que tinha dificuldades para engrenar, parece ter encontrado a maneira ideal de jogar.

O cenário que se apresenta para o Leão não é muito diferente do jogo das quartas de final contra o São Paulo, em que o auriverde foi cirúrgico no ataque: quatro finalizações e três gols. O ponto, agora, é como deter como o Corinthians ataca, de maneira mais incisiva.

Segundo o zagueiro Reniê, em coletiva pela internet nesta sexta-feira, 31, o time terá ainda mais dificuldades para chegar à final do Paulistão, já que contra o Bragantino o Timão mostrou um ataque mais perigoso, marcando dois gols e exigindo boas intervenções do goleiro Júlio César, embora mantenha menos posse de bola. "O Corinthians é mais direto na questão do ataque que o São Paulo. Acho que de todas as formas a gente vai estar preparado. De qualquer forma, vamos ter muitas dificuldades", disse o defensor.

No jogo contra o São Paulo, foram 23 finalizações contra a meta do Mirassol, mas apenas 8 no alvo. Já o Corinthians, contra o Bragantino, finalizou 13 vezes e cinco no alvo.

O raciocínio é o mesmo do técnico Ricardo Catalá. "Prevejo uma partida duríssima, a equipe Corinthians está habituada a este tipo de partida, tem ótimos jogadores, e por todos esses elementos o Corinthians é o favorito, mas nós tentaremos ser organizados e competir ao máximo."

Outro motivo de preocupação com o ataque alvinegro é o centroavante Jô. O jogador voltou do Nagoya Grampus, do Japão, e foi inscrito para a fase final do Paulista. Logo no primeiro jogo, marcou. O jogador, artilheiro do Brasileirão de 2017, já desperta a atenção dos defensores do Leão. "A gente precisa estar atento como um todo. O Jô é um grande jogador e precisamos ter atenção, não só com ele, mas com o time do Corinthians", prevê Reniê.

Palco vazio

Se o momento é histórico para o Mirassol, a ausência de público transforma o momento. Se no início do ano a expectativa era de chegar à fase final e contar com estádios lotados, a realidade se mostra bem diferente, com os estádios vazios e uma série de restrições impostas pela Federação Paulista para restringir a possibilidade de contágio dos atletas e da comissão técnica com o novo coronavírus.

Como efeito colateral, os jogadores mais jovens do elenco, que foram alçados de maneira quase que inesperada para este momento, não precisarão lidar com o calor da torcida adversária, mas para o zagueiro Reniê, a situação não muda muito. "Tudo isso mexe, jogar na Arena Corinthians lotada é um privilégio, mas assim a gente tem que se adequar. A realidade é que Mirassol tem trabalho bom e os Meninos vão chegar preparados."