Mirassol desbanca São Paulo e vai à semi

PAULISTÃO

Mirassol desbanca São Paulo e vai à semi

Time de Fernando Diniz mantém jejum de títulos no Paulista desde 2005


Zé Roberto, que não marcava desde 5 de março, fez dois gols pelo Mirassol contra o São Paulo, no Morumbi
Zé Roberto, que não marcava desde 5 de março, fez dois gols pelo Mirassol contra o São Paulo, no Morumbi - Fernando Roberto/Agência Futpress/Mirassol

Sim, o Mirassol fez história na noite desta quarta-feira, 29. Ao derrotar o São Paulo por 3 a 2, em pleno Morumbi, o Leão da Araraquarense conseguiu sua primeira vitória sobre o rival e de quebra alcançou a inédita vaga na semifinal do Paulistão 2020. O time de Ricardo Catalá soube sofrer e ser efetivo para bater o rival na noite em que seu ataque voltou a marcar gols - nos dois jogos depois da paralisação pela pandemia o time não havia marcado. O favoritismo Tricolor, que não vence o Estadual desde 2005, caiu por terra e botou pressão no trabalho de Fernando Diniz.

A classificação muito se deve a Zé Roberto. O atacante inscrito de última hora matou a sua saudade de fazer gols, o que não fazia desde 5 de março, quando anotou pelo Baniyas, nos Emirados Árabes Unidos. E de cara, fez logo dois para encher de esperança o torcedor do Mirassol, que nesta quinta conhecerá seu adversário no próximo estágio do Estadual.

Depois de um início onde o São Paulo marcou alto, dificultando a saída de bola do Leão, foi o visitante quem assustou primeiro. Na cobrança de falta de Moraes, o goleiro Tiago Volpi fez a defesa em escanteio. Para melhorar, na batida, Zé Roberto passou despercebido pela defesa do São Paulo e apareceu sozinho para cabecear no canto esquerdo de Volpi e abrir o placar, 1 a 0, aos 19 minutos.

Sem finalizar ao gol de Kewin, o São Paulo só chegou em cobranças de falta de Daniel Alves e Reinaldo, mas que não deram trabalho ao goleiro.

O que estava bom, ficou ainda melhor aos 31 minutos. Num rápido contragolpe do Mirassol, Juninho avançou pela direita e serviu Zé Roberto novamente, fechando na segunda trave, para fazer 2 a 0 Mirassol, em pleno Morumbi.

Depois disso, o time de Fernando Diniz despertou. Passou a dar trabalho no ataque e exigiu o goleiro Kewin em cabeçada de Pato, que Reniê terminou de afastar. Mas o Leão não aguentou a pressão e em dois minutos cedeu o empate ao São Paulo.

Primeiro com Pablo, que cabeceou para defesa de Kewin, mas ficou com o rebote para diminuir, 2 a 1. Na sequência, a bola trabalhada no comando de ataque sobrou para Vitor Bueno na entrada da área, que acertou o ângulo esquerdo de Kewin, 2 a 2.

Na etapa final foi uma verdadeira blitz do Tricolor para cima do time mirassolense. Catalá reposicionou sua defesa colocando o zagueiro Wellington no lugar de Juninho e subindo Daniel Borges para o meio-campo.

A pressão foi enorme, teve bola no travessão do rio-pretense Igor Gomes, em cruzamento da direita, e muita bola rebatida pela zaga.

Em uma das poucas escapadas para o ataque, o gol da vitória mirassolense. Danilo Boza, que com a entrada de Wellington veio para lateral-direita, cruzou na área, Volpi e Arboleda não se entenderam. A bola até foi afastada pela zaga, mas ficou para Daniel Borges chutar de primeira para fazer 3 a 2 Mirassol.

"Nem nos meus melhores sonhos pensei nisso. Eu vim para treinar, na verdade. Vim dos Emirados. Acabou que ia jogar os dois primeiros jogos, mas não deu certo. Classificamos. De madrugada me ligaram, peguei o voo, cheguei ontem, treinei e pude fazer dois gols. Só agradecer a Deus mesmo, minha família, minha namorada, todos juntos comigo", disse Zé Roberto.

SÃO PAULO - 2

Tiago Volpi; Juanfran (Igor Vinícius), Arboleda, Bruno Alves (Everton) e Reinaldo; Tchê Tchê (Paulinho Bóia), Daniel Alves e Igor Gomes (Hernanes); Vitor Bueno, Alexandre Pato (Helinho) e Pablo. Técnico: Fernando Diniz.

MIRASSOL - 3

Kewin; Daniel Borges, Danilo Boza, Reniê e Borges; Alison, Du (Lucas Vital) e Kauan (Matheus Rocha); Juninho (Wellington), Zé Roberto (João Arthur) e Bruno Mota (Vinícius Baracioli). Técnico: Ricardo Catalá.

Gols: Zé Roberto aos 19 e aos 31, Pablo aos 35 e Vitor Bueno aos 36 minutos do 1º tempo; Daniel Borges aos 34 minutos do 2º tempo. Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza. Local: estádio do Morumbi, em São Paulo, na noite desta quarta-feira, 29, sem a presença de público devido à pandemia do novo coronavírus.