Mirassol quer consolidar vaga em Diadema

DECISÃO NA RETOMADA

Mirassol quer consolidar vaga em Diadema

Remodelado após a paralisação pelo coronavírus, Leão da Araraquarense encara o Água Santa precisando da vitória para selar classificação


Técnico Ricardo Catalá promete equipe com ímpeto no ataque do começo ao fim do jogo em busca do gol e da vitória
Técnico Ricardo Catalá promete equipe com ímpeto no ataque do começo ao fim do jogo em busca do gol e da vitória - Marcos Freitas/Agência Mirassol

Uma vitória basta ao Mirassol nesta quinta-feira, 23, a partir das 15 horas, diante do Água Santa, em Diadema, para consolidar de vez sua vaga nas quartas de final do Paulistão 2020, para enfrentar o já garantido São Paulo. O duelo na Arena Inamar será mostrado ao vivo pela SporTV e sistema Pay-per-view. Depois de 127 dias de paralisação, a bola voltou a rolar na quarta-feira e, mesmo com um elenco todo remodelado, o Leão já reinicia a disputa com uma decisão pela frente. Com 16 pontos e na vice-liderança do Grupo C, o time de Ricardo Catalá pode avançar mesmo se tropeçar, se a Inter de Limeira, terceira colocada com 11 pontos, não vencer o Oeste, às 17h30.

Porém, com novo comando, de Toninho Cecílio, o Água Santa também briga pela classificação pelo Grupo A. "É sempre um pouco mais difícil se preparar contra uma equipe que tem a troca de comando, principalmente neste contexto [de pandemia], onde não temos referência nenhuma, apesar de conhecer o trabalho do Cecílio. Nesse momento é importante não olhar para os lados, mas para o que podemos e devemos fazer. Um ponto não nos coloca na próxima fase pelo número de vitórias, mas uma vitória, sim. Jogaremos como sempre fizemos desde quanto estou aqui, buscando o gol do primeiro ao último minuto com objetivo de trazer os três pontos para dentro do nosso vestiário", disse Catalá.

Com muitas trocas e a perda de peças fundamentais, como o trio de ataque Maranhão, Chico e Camilo, o Mirassol tem a responsabilidade de manter o melhor ataque do torneio. Até a parada, havia marcado 16 gols - um a mais que o Palmeiras e dois a mais que o São Paulo.

Para seguir o fluxo e voltar a mostrar seu poder, o time aposta na capacidade de criação e chegada no ataque do meia Juninho, que até a parada havia participado de oito jogos e feito um gol. "A gente procurou dar continuidade da mesma forma que estava trabalhando", disse Juninho, que preferiu não ponderar o fato de o time de Diadema ter, até a paralisação, um dos piores ataques do Paulista, tendo feito apenas seis gols. "Não tenho o que falar, com a paralisação teve mudança lá como aqui e só vai ver mesmo quando o juiz apitar."

A volta dos jogos do Paulista se dá em atmosfera atípica, sem torcida e outros atrativos do tradicional espetáculo, além de os times não terem parâmetros dos rivais e ritmo de jogo, já que foram três meses em treinos convencionais. "Vai sentir falta sim da nossa torcida, barulho, mas como atleta temos de estar preparados pra qualquer situação e quando a bola rolar vamos querer dar nosso melhor, independente se está com a torcida presente ou vendo a gente pela televisão", finalizou Juninho.

 

ÁGUA SANTA

Giovanni; Jonathan, Rodrigo Sam, João Paulo e Peri; Welligton Reis, Fabrício, Diogo Marzagao e Luan Dias; Tadeu e Dadá.
Técnico: Toninho Cecílio.

MIRASSOL

Kewin (Luis); Daniel Borges, Wellington (Tiago Alves), Reniê e Borges; Alison, Lucas Vital (Du), Juninho e Matheus Rocha; Netto e Bruno Motta. Técnico: Ricardo Catalá.

Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo.

Local: Arena Inamar, em Diadema, nesta quinta-feira, 23, às 15 horas, com transmissão pela SporTV e Pay-per-view.